William Faulkner – O Som E A Fúria

William Faulkner – O Som E A Fúria

O Som E A Fúria, de 1929, é considerada a obra mais importante do escritor norte-americano ganhador do prêmio Nobel de Literatura em 1949.

O Som E A Fúria surgiu em um período de isolamento, depois que o autor teve seu terceiro romance recusado por diversas editoras.

Abalado, William Faulkner investiu num estilo ousado, tecido por quatro vozes narrativas distintas e saltos inesperados no tempo. É dessa forma, permeada por tons bíblicos e ecos de tragédias gregas, que o escritor retrata a violenta decadência dos Compson, família aristocrática do sul dos Estados Unidos, que parece viver num desnorteante presente em estado bruto.

O título O Som E A Fúria foi tirado do famoso solilóquio de Macbeth, de William Shakespeare. Imediatamente óbvia é a noção de uma “história contada por um idiota”, neste caso Benjy, através do qual a história dos Compsons abre o romance.

A ideia pode ser estendida também para Quentin e Jason, cujas narrativas exibem suas próprias variedades de idiotice. Mais precisamente, o romance narra o declínio e morte de uma tradicional família da classe alta sulista, “the way to dusty death” (“o caminho da morte suja”).

A última linha é, talvez, a mais significativa; Faulkner disse, em seu discurso após ser premiado com o Prêmio Nobel de Literatura, que as pessoas devem escrever sobre coisas que vêm do coração, verdades universais. Caso contrário, elas não significam nada.

Em 1945, Faulkner escreveu um apêndice para o romance, a ser publicado na antologia The Portable Faulkner. A mando de Faulkner, no entanto, as impressões subseqüentes de O Som E A Fúria frequentemente contêm o apêndice no final do livro; ele é conhecido como a quinta parte.

Tendo sido escrito dezesseis anos depois do romance inicial, o apêndice apresenta algumas diferenças textuais, mas serve para esclarecer a história.

O apêndice é apresentado como um histórico completo da linhagem da família Compson, começando com a chegada de seu ancestral Quentin Maclachlan na América em 1779, e continuando através de 1945, incluindo eventos que ocorrem em data posterior ao romance (que teve lugar em 1928).

William Faulkner nasceu em 1897 em Nova Albany, Mississipi. Publicou seu primeiro romance, Soldier’s Pay, em 1926 e, com a publicação de O Som E A Fúria, iniciou a fase mais consagradora de sua carreira, que culminou com o grande sucesso de Palmeiras selvagens. Em 1949 recebeu o prêmio Nobel de Literatura. Morreu em 1962.


Deixe uma resposta

William Faulkner – O Som E A Fúria

William Faulkner - O Som E A Fúria

O Som E A Fúria, de 1929, é considerada a obra mais importante do escritor norte-americano ganhador do prêmio Nobel de Literatura em 1949.

O Som E A Fúria surgiu em um período de isolamento, depois que o autor teve seu terceiro romance recusado por diversas editoras.

Abalado, William Faulkner investiu num estilo ousado, tecido por quatro vozes narrativas distintas e saltos inesperados no tempo. É dessa forma, permeada por tons bíblicos e ecos de tragédias gregas, que o escritor retrata a violenta decadência dos Compson, família aristocrática do sul dos Estados Unidos, que parece viver num desnorteante presente em estado bruto.

O título O Som E A Fúria foi tirado do famoso solilóquio de Macbeth, de William Shakespeare. Imediatamente óbvia é a noção de uma “história contada por um idiota”, neste caso Benjy, através do qual a história dos Compsons abre o romance.

A ideia pode ser estendida também para Quentin e Jason, cujas narrativas exibem suas próprias variedades de idiotice. Mais precisamente, o romance narra o declínio e morte de uma tradicional família da classe alta sulista, "the way to dusty death" ("o caminho da morte suja").

A última linha é, talvez, a mais significativa; Faulkner disse, em seu discurso após ser premiado com o Prêmio Nobel de Literatura, que as pessoas devem escrever sobre coisas que vêm do coração, verdades universais. Caso contrário, elas não significam nada.

Em 1945, Faulkner escreveu um apêndice para o romance, a ser publicado na antologia The Portable Faulkner. A mando de Faulkner, no entanto, as impressões subseqüentes de O Som E A Fúria frequentemente contêm o apêndice no final do livro; ele é conhecido como a quinta parte.

Tendo sido escrito dezesseis anos depois do romance inicial, o apêndice apresenta algumas diferenças textuais, mas serve para esclarecer a história.

O apêndice é apresentado como um histórico completo da linhagem da família Compson, começando com a chegada de seu ancestral Quentin Maclachlan na América em 1779, e continuando através de 1945, incluindo eventos que ocorrem em data posterior ao romance (que teve lugar em 1928).

William Faulkner nasceu em 1897 em Nova Albany, Mississipi. Publicou seu primeiro romance, Soldier’s Pay, em 1926 e, com a publicação de O Som E A Fúria, iniciou a fase mais consagradora de sua carreira, que culminou com o grande sucesso de Palmeiras selvagens. Em 1949 recebeu o prêmio Nobel de Literatura. Morreu em 1962.


Deixe uma resposta