Física Moderna Para Ensino Médio – A física moderna surge com a necessidade de se criar novos conceitos para explicar fenômenos que a chamada física clássica não conseguia. O tempo deixa de ser absoluto, a luz, embora uma onda, pode se comportar como partícula, as partículas geram ondas de matéria, os elétrons nos átomos não emitem radiação continuamente, enfim, a física necessitava de uma reformulação, um novo olhar.
O que hoje denominamos por física moderna, surge com algumas experiências cujos resultados não puderam ser explicados nem pela mecânica newtoniana, nem pela teoria eletromagnética de Maxwell. Muitas experiências que causaram a ruptura com a física clássica tiveram origem nos estudos que Faraday realizou por volta de 1830, referentes a descargas elétricas em gases rarefeitos.
Entretanto, fenômenos estranhos e até então inexplicados, só foram observados depois de 1870. O efeito fotoelétrico foi descoberto ao acaso por Heinrich Hertz em 1887; as raias espectrais do átomo de hidrogênio começaram a ser observadas pelo professor secundarista, Johann Balmer, em 1885; os raios X foram descobertos por Wilhelm Conrad Röntgen em 1895; Henri Becquerel observa, em 1896, fenômenos que resultaram na descoberta da radioatividade; em 1897 Pierre e Marie Curie, descobre o elemento radioativo rádio.
Ao lado desses resultados absolutamente inusitados, deve-se salientar a importância dos estudos referentes às radiações emitidas pelos materiais aquecidos, uma linha de pesquisa que girava em torno do problema da radiação de corpo negro, cujo enigma desafiou a inteligência humana durante muito tempo, particularmente na segunda metade do século passado. A ruptura com o conhecimento clássico e o surgimento da física moderna se dá inicialmente com a realização dessas experiências nas duas últimas décadas do século passado.
Por volta de 1900, o professor da Universidade de Berlim, Max Planck, propõe, na sequência de uma série de trabalhos, o modelo de absorção e emissão discreta de radiação, introduzindo uma constante universal que hoje é denominada constante de Planck. Cinco anos depois Albert Einstein utiliza a teoria de Planck e explica o efeito fotoelétrico. Neste mesmo ano de 1905, ele publica mais quatro artigos que, definitivamente, sacramentam a fama de Einstein.
Entre 1911 e 1913, Niels Bohr, um jovem dinamarquês em estágio de pós-doutorado nas Universidades de Cambridge e Manchester, desenvolve o primeiro modelo atômico da era moderna, obtendo enorme sucesso na explicação do espectro discreto do átomo de hidrogênio; era o início da teoria quântica. Assim, sob um ângulo personalista podemos dizer que a revolução em curso é sustentada pelo triplé Planck-Einstein-Bohr.

Camisa Digitalizado

Deixe uma resposta