Vinícius De Moraes – Soneto Da Fidelidade E Outros Poemas

Os poemas reunidos aqui registram diversas fases e épocas vivenciadas por Vinicius de Moraes.

Buscamos o ‘Livro de Sonetos’ para viver um grande amor e em ‘Antologia Poética’ os poemas que tanto despertaram a simpatia dos leitores.

Eis o nosso Poetinha, tão famoso pela forma e elegância poéticas, por reverenciar tanto o amor como a dor e por compor letras de músicas conhecidas do grande público.

O carioca Marcus Vinicius Cruz de Morais (1913–1980) exprimiu seu sublime lirismo em música, em canto e em versos. Com 25 anos, recebeu a primeira bolsa de estudos pelo Conselho Britânico para estudar na Universidade de Oxford.

Retornando ao Brasil, ingressou na carreira diplomática, servindo nas Embaixadas de Los Angeles, Paris, Montevidéu; mas nunca deixando de publicar, ano após ano, coletâneas de poemas.

Gênio multiforme, o poeta colaborou com o cinema, escrevendo o roteiro do filme do diretor francês Antoine d’Ormesson, Arrastão: os amantes do mar, cujo tema é uma adaptação da lenda medieval de Tristão e Isolda ao folclore carioca.

Para o Teatro, em parceria do músico Antônio Carlos Jobim, escreve a peça Orfeu da Conceição, encenada com sucesso no Rio de janeiro, em 1956, e filmada em 1958, com o título Orfeu negro, sob a direção do escritor e cineasta francês Marcel Camus.

Ainda junto com Jobim, compôs o samba Garota de Ipanema, canção que ultrapassou os umbrais do tempo e do espaço, tornando-se um sucesso internacional, sendo sua letra traduzida em vários idiomas.

Em parceria com outros músicos famosos (Carlos Lira, Baden Pawell, Edu Lobo, Francis Hime), Vinicius gravou vários discos de sucesso continuado. Na companhia de Toquinho difundiu a Música popular do Brasil (MPB), dando shows em várias cidades, inclusive no interior do país, e participando ativamente do movimento da Bossa Nova.

Vinicius foi o poeta moderno que melhor soube retomar o espírito epicurista da cultura greco-romana, cantando os prazeres da vida e, especialmente, exaltando a beleza da mulher. Dele é a famosa expressão, “as feias que me desculpem, mas na mulher a beleza é fundamental”.

 

Caneca Mãe E Bebê Leitoras | Branca

Deixe uma resposta