Tamara Fresia Mantovani De Oliveira & Cynthia Carvalho Martins – Escola Quilombola: Revisitando Tradições Culturais Do Quilombo Da Fazenda Na Toca Da Mãe Do Ouro

Nas últimas décadas, no Brasil, vimos um movimento que ganhou corpo e visibilidade em relação a diferenças, diversidade e tantos outros qualificadores que possam, efetivamente, alertar os mais desavisados quanto à imensa e rica heterogeneidade que habita nosso país.

Tais movimentos têm propiciado inúmeras iniciativas de investigação e produção de conhecimento em textos impressos e por vários outros meios de divulgação: filmes, documentários, programas específicos televisionados entre outros. São iniciativas trazendo à baila temáticas que incitam a reflexão acerca de nosso país e sua educação.

No âmbito de tal espectro incluo Escola Quilombola, portador de conhecimentos variados, expostos de modo original a respeito de tema pouco explorado de nossa realidade: os quilombos.

Partindo de trabalho empírico, extremamente consciente tanto das realidades visitadas quanto da metodologia de trabalho para seu acesso, a leitura nos transporta para inúmeras informações e locais com inegável contribuição, expondo, de início, dois momentos do trabalho: as fontes para elaboração seguida do material obtido com a revisita ao Quilombo da Fazenda na Toca da Mãe do Ouro.

O texto, organizado em duas partes, é extremamente original em sua composição, com onze capítulos de poucas páginas cada um e segunda parte com outros cinco capítulos, igualmente curtos, os quais apresento brevemente a seguir.

A educação é abordada em dupla entrada. A escola, bem no início da primeira parte traz informações sobre professores, alunos e relação com a comunidade.

Retoma a escola na abertura da segunda parte sendo ampliando nos capítulos três e quatro quando se apreende a perspectiva do grupo local quanto a essa instituição. O terceiro capítulo insere a educação quilombola no contexto da educação brasileira onde se apreende também parte da educação informal.

O quarto capítulo dessa temática abrange “a autonomia da escola e projeto pedagógico” sempre pautados nas relações afro-brasileiras.

Deixe uma resposta