Vinício Carilho Martinez – O Cio Do Fascismo

O Cio Do Fascismo não é recomendado para menores, ingênuos, crédulos na salvação do lucro fácil, eleitores e seguidores dess

Vinício Carilho Martinez – O Cio Do Fascismo (10 Atos De Poder Sem Liturgia)

Observação preliminar: apesar de ser um evidente projeto político de tomada e manutenção do poder, esse Fascismo (no cio vulgar) não tem liturgia. Como se sabe, a realização do poder sempre vem coroada de liturgias.

Nesse caso específico, no entanto, não há liturgia – e por uma razão simples e óbvia: a primeira regra é ser alfabetizado. No projeto político de poder que veremos (na verdade o nosso), não há letramento, mas abundância de vulgaridade.

Segunda observação: qualquer semelhança com a realidade é mera coincidência, porém toda coincidência é muito mais do que uma mera semelhança.

Em tempos sombrios como os atuais, mas no século passado, tivemos várias obras elucidativas sobre o país. Um exemplo é a peça “Fazenda Modelo”, de Chico Buarque, além de músicas como “Pedro Pedreiro”, do mesmo Chico, e filmes como o “Homem que Virou Suco”.

É incrível nossa capacidade, quase simétrica, de revoltar os mortos. Trazemos o passado necrosado praticamente “vivo”, no que houve de pior. Exemplo de revolta dos mortos está nos mais de 600.000 mortos na pandemia, que poderiam, em sua maioria, estar vivos – se o governo brasileiro não os tratasse como leito de morte.

Vinício Carrilho Martinez – É Pós-Doutor em Ciência Política, Doutor em Ciências Sociais e em Educação. Professor Associado da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Coordenador do PPGCTS e líder do Grupo de Pesquisa de Estudos Constitucionais do BRaS. Membro do Comitê Acadêmico do BRaS. Editor Associado do BRaS-J.

Não dissemos no início, contudo, vale apontar que O Cio Do Fascismo não é recomendado para menores de 18 anos, ingênuos, crédulos na salvação do lucro fácil, eleitores e seguidores desse triunvirato.

Em todo caso, o alerta é o mesmo do início: vira e mexe o passado regurgita no país, um dia como farsa, no outro como tragédia anunciada em escala. No arremate, prelúdio do ovo clonado da serpente fascista, podemos dizer que, sob o capitalismo movido pela Teologia da Prosperidade (dinheiro fácil), não se dá extrema-unção à extrema direita.

Não nos esqueçamos jamais: a Fênix do Mal sempre ronda o país com sua corja de urubus paladinos – alguns togados, outros já despidos.

Clique para
Baixar o PDF

Deixe uma resposta

Vinício Carilho Martinez – O Cio Do Fascismo

O Cio Do Fascismo não é recomendado para menores, ingênuos, crédulos na salvação do lucro fácil, eleitores e seguidores dess

Vinício Carilho Martinez - O Cio Do Fascismo (10 Atos De Poder Sem Liturgia)

Observação preliminar: apesar de ser um evidente projeto político de tomada e manutenção do poder, esse Fascismo (no cio vulgar) não tem liturgia. Como se sabe, a realização do poder sempre vem coroada de liturgias.

Nesse caso específico, no entanto, não há liturgia – e por uma razão simples e óbvia: a primeira regra é ser alfabetizado. No projeto político de poder que veremos (na verdade o nosso), não há letramento, mas abundância de vulgaridade.

Segunda observação: qualquer semelhança com a realidade é mera coincidência, porém toda coincidência é muito mais do que uma mera semelhança.

Em tempos sombrios como os atuais, mas no século passado, tivemos várias obras elucidativas sobre o país. Um exemplo é a peça “Fazenda Modelo”, de Chico Buarque, além de músicas como “Pedro Pedreiro”, do mesmo Chico, e filmes como o “Homem que Virou Suco”.

É incrível nossa capacidade, quase simétrica, de revoltar os mortos. Trazemos o passado necrosado praticamente "vivo", no que houve de pior. Exemplo de revolta dos mortos está nos mais de 600.000 mortos na pandemia, que poderiam, em sua maioria, estar vivos – se o governo brasileiro não os tratasse como leito de morte.

Vinício Carrilho Martinez - É Pós-Doutor em Ciência Política, Doutor em Ciências Sociais e em Educação. Professor Associado da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Coordenador do PPGCTS e líder do Grupo de Pesquisa de Estudos Constitucionais do BRaS. Membro do Comitê Acadêmico do BRaS. Editor Associado do BRaS-J.

Não dissemos no início, contudo, vale apontar que O Cio Do Fascismo não é recomendado para menores de 18 anos, ingênuos, crédulos na salvação do lucro fácil, eleitores e seguidores desse triunvirato.

Em todo caso, o alerta é o mesmo do início: vira e mexe o passado regurgita no país, um dia como farsa, no outro como tragédia anunciada em escala. No arremate, prelúdio do ovo clonado da serpente fascista, podemos dizer que, sob o capitalismo movido pela Teologia da Prosperidade (dinheiro fácil), não se dá extrema-unção à extrema direita.

Não nos esqueçamos jamais: a Fênix do Mal sempre ronda o país com sua corja de urubus paladinos – alguns togados, outros já despidos.

Clique para
Baixar o PDF

Deixe uma resposta


Desenvolvido pela Quanta Comunicação