Silveira De Souza – Ecos No Porão Vol. I

A Editora da UFSC publica o primeiro volume da antologia pessoal do escritor catarinense João Paulo Silveira de Souza, intitulada Ecos No Porão.

Silveira De Souza – Ecos No Porão Vol. I

A Editora da UFSC publica o primeiro volume da antologia pessoal do escritor catarinense João Paulo Silveira de Souza, intitulada Ecos No Porão.

Um dos integrantes do Grupo Sul, movimento literário e artístico que introduziu tardiamente o Modernismo em Santa Catarina, Silveira de Souza nasceu em Florianópolis, em 1933, e seu primeiro livro de contos, O vigia e a cidade, foi publicado em 1960, por conta própria, com ilustrações do amigo e poeta Hugo Mund. De 1960 a 1970, foi professor de Matemática no Instituto Estadual de Educação e Escola Técnica Federal de SC, em Florianópolis.

Dirigiu, de 1971 a 1976 a Divisão de Informação e Divulgação do Departamento de Extensão Cultural da UFSC. Em 1979 passou a trabalhar no setor de editoração da Fundação Catarinense de Cultura, onde coordenou as Edições FCC. Desde 1992 é aposentado do serviço público. Ocupa a cadeira nº 33 da Academia Catarinense de Letras.

O primeiro livro de Silveira de Souza foi uma seleção de poemas de Cruz e Souza intitulada Sonetos da Noite, que ele produziu com Hugo Mund Júnior em 1958. O Silveirinha contista estrearia em 1960 com O vigia e a cidade, também com as xilogravuras de Mund na Edições de Livro de Arte, que os dois produziam artesanalmente. O segundo volume de contos, Uma voz na praça, saiu em 1962, com capa e desenhos de Pedro Paulo Vechietti. Depois disso, vieram Quatro Alamedas (contos, em 1976), Os pequenos desencontros (crônicas, em 1977), O cavalo em chamas (contos, em 1981), Artepoema (catálogo da mostra de poesia e pintura feito com Hassis, em 1983), Canário de assobio (crônicas, em 1985), Um ônibus e quatro destinos (romance a seis mãos com Francisco Pereira e Holdemar Menezes, em 1994), Rumor de folhas (poemas, em 1996), Relatos escolhidos (contos, 1998), Trololó para flauta e cavaquinho (crônicas, em parceria com Flávio José Cardoso, em 1999), Contas de Vidro (crônicas, em 2002) e Janela de Varrer (contos, em 2006).

Quase todas essas edições foram financiadas pelo próprio autor, motivo pelo qual a Editora da UFSC agora, justamente, faz o reconhecimento da obra desse grande contista brasileiro com a edição em dois volumes de seus contos selecionados.


Deixe uma resposta

Silveira De Souza – Ecos No Porão Vol. I

A Editora da UFSC publica o primeiro volume da antologia pessoal do escritor catarinense João Paulo Silveira de Souza, intitulada Ecos No Porão.

Silveira De Souza - Ecos No Porão Vol. I

A Editora da UFSC publica o primeiro volume da antologia pessoal do escritor catarinense João Paulo Silveira de Souza, intitulada Ecos No Porão.

Um dos integrantes do Grupo Sul, movimento literário e artístico que introduziu tardiamente o Modernismo em Santa Catarina, Silveira de Souza nasceu em Florianópolis, em 1933, e seu primeiro livro de contos, O vigia e a cidade, foi publicado em 1960, por conta própria, com ilustrações do amigo e poeta Hugo Mund. De 1960 a 1970, foi professor de Matemática no Instituto Estadual de Educação e Escola Técnica Federal de SC, em Florianópolis.

Dirigiu, de 1971 a 1976 a Divisão de Informação e Divulgação do Departamento de Extensão Cultural da UFSC. Em 1979 passou a trabalhar no setor de editoração da Fundação Catarinense de Cultura, onde coordenou as Edições FCC. Desde 1992 é aposentado do serviço público. Ocupa a cadeira nº 33 da Academia Catarinense de Letras.

O primeiro livro de Silveira de Souza foi uma seleção de poemas de Cruz e Souza intitulada Sonetos da Noite, que ele produziu com Hugo Mund Júnior em 1958. O Silveirinha contista estrearia em 1960 com O vigia e a cidade, também com as xilogravuras de Mund na Edições de Livro de Arte, que os dois produziam artesanalmente. O segundo volume de contos, Uma voz na praça, saiu em 1962, com capa e desenhos de Pedro Paulo Vechietti. Depois disso, vieram Quatro Alamedas (contos, em 1976), Os pequenos desencontros (crônicas, em 1977), O cavalo em chamas (contos, em 1981), Artepoema (catálogo da mostra de poesia e pintura feito com Hassis, em 1983), Canário de assobio (crônicas, em 1985), Um ônibus e quatro destinos (romance a seis mãos com Francisco Pereira e Holdemar Menezes, em 1994), Rumor de folhas (poemas, em 1996), Relatos escolhidos (contos, 1998), Trololó para flauta e cavaquinho (crônicas, em parceria com Flávio José Cardoso, em 1999), Contas de Vidro (crônicas, em 2002) e Janela de Varrer (contos, em 2006).

Quase todas essas edições foram financiadas pelo próprio autor, motivo pelo qual a Editora da UFSC agora, justamente, faz o reconhecimento da obra desse grande contista brasileiro com a edição em dois volumes de seus contos selecionados.


Deixe uma resposta