Roberta Do Carmo – Fracasso E Liberdade Em Sartre

A leitura desta obra de Roberta Do Carmo nos dá a possibilidade de buscar um maior entendimento do desejo humano de ser Deus.

Roberta Do Carmo – Fracasso E Liberdade Em Sartre: O Desejo Humano De Ser Deus

O ensaio de ontologia fenomenológica O Ser e O Nada de Sartre apresenta uma concepção da realidade humana enquanto fundamentalmente desejo de ser Deus. Pretendemos explorar essa afirmação de forma a buscar compreendê-la a partir dos conceitos sartrianos de emsi e para-si.

Tratam-se de conceitos que se delineiam através de um pensamento que tem como ponto de partida a análise fenomenológica e como objetivo final abrir caminhos para a possibilidade de um olhar ontológico acerca da realidade do mundo e do homem. Enquanto o em-si é plenitude de ser, o para-si é vazio, é nada de ser – puro movimento intencional e translúcido da consciência humana em direção ao ser.

É através desse entendimento do homem enquanto fundamentalmente cogito pré-reflexivo que é possível conceber o desejo perpetuamente inalcançável de ser Deus em toda sua dimensão de fracasso e de liberdade.

Para tanto, iremos nos ater, sobretudo, à obra O Ser e o Nada, recorrendo ao ensaio A Liberdade Cartesiana e à conferência Consciência de Si e Conhecimento de Si como forma de enriquecer a discussão proposta.

Na primeira parte, iremos propor uma trajetória de discussão que tem como ponto de partida a Introdução de O Ser e o Nada: Em Busca do Ser e como ponto de chegada o primeiro capítulo Estruturas imediatas do Para-si da segunda parte O Ser-Para-si, quando Sartre conclui acerca do desejo humano de ser Deus.

Trata-se de um percurso que julgamos ser de fundamental importância para a compreensão da proposta sartriana de ontologia fenomenológica calcada na dupla cisão de ser: em-si e para-si. Nos ater a esta proposta fundamenta e nos abre caminho para a segunda parte: desenvolver uma maior compreensão da realidade humana enquanto cogito pré-reflexivo que é constitutivamente fracasso e liberdade em seu desejo irrealizável de autofundamentação.

Pretendemos levantar reflexões e propor caminhos para a compreensão da filosofia sartriana que possam evidenciar a importância da concepção de cogito pré-reflexivo enquanto diretamente herdeiro do cogito cartesiano.

Acreditamos que evidenciar essa discussão nos dá a possibilidade de buscar um maior entendimento do desejo humano de ser Deus, além de abrir caminhos, talvez ainda não completamente explorados, para uma maior aproximação entre as filosofias de Sartre e de Descartes.


Deixe uma resposta

Roberta Do Carmo – Fracasso E Liberdade Em Sartre

A leitura desta obra de Roberta Do Carmo nos dá a possibilidade de buscar um maior entendimento do desejo humano de ser Deus.

Roberta Do Carmo - Fracasso E Liberdade Em Sartre: O Desejo Humano De Ser Deus

O ensaio de ontologia fenomenológica O Ser e O Nada de Sartre apresenta uma concepção da realidade humana enquanto fundamentalmente desejo de ser Deus. Pretendemos explorar essa afirmação de forma a buscar compreendê-la a partir dos conceitos sartrianos de emsi e para-si.

Tratam-se de conceitos que se delineiam através de um pensamento que tem como ponto de partida a análise fenomenológica e como objetivo final abrir caminhos para a possibilidade de um olhar ontológico acerca da realidade do mundo e do homem. Enquanto o em-si é plenitude de ser, o para-si é vazio, é nada de ser - puro movimento intencional e translúcido da consciência humana em direção ao ser.

É através desse entendimento do homem enquanto fundamentalmente cogito pré-reflexivo que é possível conceber o desejo perpetuamente inalcançável de ser Deus em toda sua dimensão de fracasso e de liberdade.

Para tanto, iremos nos ater, sobretudo, à obra O Ser e o Nada, recorrendo ao ensaio A Liberdade Cartesiana e à conferência Consciência de Si e Conhecimento de Si como forma de enriquecer a discussão proposta.

Na primeira parte, iremos propor uma trajetória de discussão que tem como ponto de partida a Introdução de O Ser e o Nada: Em Busca do Ser e como ponto de chegada o primeiro capítulo Estruturas imediatas do Para-si da segunda parte O Ser-Para-si, quando Sartre conclui acerca do desejo humano de ser Deus.

Trata-se de um percurso que julgamos ser de fundamental importância para a compreensão da proposta sartriana de ontologia fenomenológica calcada na dupla cisão de ser: em-si e para-si. Nos ater a esta proposta fundamenta e nos abre caminho para a segunda parte: desenvolver uma maior compreensão da realidade humana enquanto cogito pré-reflexivo que é constitutivamente fracasso e liberdade em seu desejo irrealizável de autofundamentação.

Pretendemos levantar reflexões e propor caminhos para a compreensão da filosofia sartriana que possam evidenciar a importância da concepção de cogito pré-reflexivo enquanto diretamente herdeiro do cogito cartesiano.

Acreditamos que evidenciar essa discussão nos dá a possibilidade de buscar um maior entendimento do desejo humano de ser Deus, além de abrir caminhos, talvez ainda não completamente explorados, para uma maior aproximação entre as filosofias de Sartre e de Descartes.


Deixe uma resposta


Desenvolvido pela Quanta Comunicação