Mônica Luiza Simião Pinto & Outros (Orgs.) – Educação E Direitos Humanos

Os 23 capítulos que compõem a obra Educação E Direitos Humanos trazem desafios, diálogos e práticas relacionados ao direito à educação.

Mônica Luiza Simião Pinto, Ana Maria Eyng & Marcelo Estevam (Orgs.) – Educação E Direitos Humanos: Desafios, Diálogos E Práticas

Nossa tarefa com este livro é desafiadora. Miguel Arroyo traz uma importante reflexão sobre os diferentes, considerando que deles vem as indagações mais desafiantes para a cultura política, as teorias pedagógicas e as políticas de igualdade e garantia de direitos.

Em especial, para o direito ao conhecimento, à cultura e à educação. Há, assim, necessidade urgente de desconstruir imaginários que inferiorizam esses diferentes; que segregam estes “outros”; que produzem uma sociedade desigual e porque não dizer, desumana.

O papel da Educação neste contexto é fundamental. Ela é um caminho para a mudança de atitudes, ações e visões. Aqui cabe destaque para a Educação em Direitos Humanos, numa perspectiva pautada na justiça e na busca da igualdade dos sujeitos por meio do reconhecimento e valorização de suas diferenças. A Educação em e para os Direitos Humanos torna-se meio de mobilização e luta democrática para uma reinvenção de relações e de percepções quanto aos diversos sujeitos e os diversos direitos.

Os 23 capítulos de Educação E Direitos Humanos trazem desafios, diálogos e práticas relacionados ao direito à educação, interculturalidade e/ou interseccionalidade na garantia dos direitos à educação, educação em direitos humanos e direito à educação formal e não formal. Textos escritos por autores preocupados em partilhar suas experiências e suas pesquisas, na busca pela troca de conhecimentos.

Em comum, trazem ainda uma oportunidade de registro histórico do que se pensa e se vive na segunda década do século XXI a respeito da Educação e dos Direitos Humanos.

O propósito da obra não se finda aqui. Que as palavras, as ideias e as conclusões deste livro se perpetuem nos espaços escolares, acadêmicos, nas discussões nos lares e nos espaços públicos.

Que ao terminar, os leitores possam compartilhar o que encontraram, estabelecendo diálogos. Que consigam olhar o outro e a si mesmo de forma diferente, e possam avaliar e refletir sobre suas práticas; sejam elas como cidadão ou como profissional da educação. Que os desafios da atualidade nos tornem mais fortes na luta pela garantia dos direitos de todos os sujeitos.


Deixe uma resposta

Mônica Luiza Simião Pinto & Outros (Orgs.) – Educação E Direitos Humanos

Os 23 capítulos que compõem a obra Educação E Direitos Humanos trazem desafios, diálogos e práticas relacionados ao direito à educação.

Mônica Luiza Simião Pinto, Ana Maria Eyng & Marcelo Estevam (Orgs.) - Educação E Direitos Humanos: Desafios, Diálogos E Práticas

Nossa tarefa com este livro é desafiadora. Miguel Arroyo traz uma importante reflexão sobre os diferentes, considerando que deles vem as indagações mais desafiantes para a cultura política, as teorias pedagógicas e as políticas de igualdade e garantia de direitos.

Em especial, para o direito ao conhecimento, à cultura e à educação. Há, assim, necessidade urgente de desconstruir imaginários que inferiorizam esses diferentes; que segregam estes “outros”; que produzem uma sociedade desigual e porque não dizer, desumana.

O papel da Educação neste contexto é fundamental. Ela é um caminho para a mudança de atitudes, ações e visões. Aqui cabe destaque para a Educação em Direitos Humanos, numa perspectiva pautada na justiça e na busca da igualdade dos sujeitos por meio do reconhecimento e valorização de suas diferenças. A Educação em e para os Direitos Humanos torna-se meio de mobilização e luta democrática para uma reinvenção de relações e de percepções quanto aos diversos sujeitos e os diversos direitos.

Os 23 capítulos de Educação E Direitos Humanos trazem desafios, diálogos e práticas relacionados ao direito à educação, interculturalidade e/ou interseccionalidade na garantia dos direitos à educação, educação em direitos humanos e direito à educação formal e não formal. Textos escritos por autores preocupados em partilhar suas experiências e suas pesquisas, na busca pela troca de conhecimentos.

Em comum, trazem ainda uma oportunidade de registro histórico do que se pensa e se vive na segunda década do século XXI a respeito da Educação e dos Direitos Humanos.

O propósito da obra não se finda aqui. Que as palavras, as ideias e as conclusões deste livro se perpetuem nos espaços escolares, acadêmicos, nas discussões nos lares e nos espaços públicos.

Que ao terminar, os leitores possam compartilhar o que encontraram, estabelecendo diálogos. Que consigam olhar o outro e a si mesmo de forma diferente, e possam avaliar e refletir sobre suas práticas; sejam elas como cidadão ou como profissional da educação. Que os desafios da atualidade nos tornem mais fortes na luta pela garantia dos direitos de todos os sujeitos.


Deixe uma resposta


Desenvolvido pela Quanta Comunicação