Miguel Pacheco & André Carrilho (Orgs.) – Memórias Para O Futuro

Memórias Para O Futuro é uma iniciativa do curso de Arquitetura e Urbanismo para comemoração do primeiro centenário da cidade de Chapecó.

Miguel Pacheco & André Carrilho (Orgs.) – Memórias Para O Futuro: Comemorando O Primeiro Centenário Da Fundação Da Cidade De Chapecó

Em 2017, a cidade de Chapecó, no estado de Santa Catarina, no Brasil, comemorou o primeiro centenário da sua fundação. Nesse ano, o curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Comunitária da Região de Chapecó (Unochapecó) organizou um ciclo de palestras designado Memórias Para O Futuro, com o modesto objetivo de pensar no futuro da cidade.

As palestras eram estruturadas em três temas: identidade, infraestrutura e qualidade de vida. A partir deste conjunto de palestras, um livro foi sendo escrito. A produção do livro foi objeto de inúmeras vicissitudes editoriais: é basicamente um milagre, você, leitor, estar lendo estas palavras.

Dentro desse longo processo de resiliência editorial, o livro evoluiu para uma organização em duas linhas narrativas: Futuro e Memórias.

A linha do Futuro foi escrita por Flávio Carsalade, Diego Capandeguy e Ricardo Côrrea. Todos são autores de fora de Chapecó que não tinham conhecimento da cidade antes do convite. Eles foram chamados para trazer uma visão propositalmente de fora, cosmopolita e nova para cidade.

A linha da Memória foi escrita por Ana Laura Vianna Villela, Arlene Renk e Mirian Carbonera. Todas são pessoas da região, professoras da Unochapecó e olham para o passado de Chapecó. Esta linha aborda o processo de urbanização, a história das etnogêneses e identidades, e os primeiros habitantes de Chapecó e da região do oeste catarinense.

Aos autores foi dada muita liberdade editorial na interpretação dos eixos identidade, infraestrutura e qualidade de vida, mas foi apresentada uma estrutura para os seus textos. A estrutura divide os textos em artigo, reflexão pedagógica e insinuação.

Nos artigos, os autores apresentam uma reflexão/síntese sobre os temas da sua produção, com um caráter mais focado no campo de atuação específico de cada autor.

A reflexão pedagógica parte dos artigos, fazendo a seguinte pergunta aos autores: o que é preciso que os alunos de Arquitetura e Urbanismo aprendam, hoje, para que possam ter as competências e habilidades necessárias para dominar as temáticas abordadas?

Clique para
Baixar o PDF

Deixe uma resposta

Miguel Pacheco & André Carrilho (Orgs.) – Memórias Para O Futuro

Memórias Para O Futuro é uma iniciativa do curso de Arquitetura e Urbanismo para comemoração do primeiro centenário da cidade de Chapecó.

Miguel Pacheco & André Carrilho (Orgs.) - Memórias Para O Futuro: Comemorando O Primeiro Centenário Da Fundação Da Cidade De Chapecó

Em 2017, a cidade de Chapecó, no estado de Santa Catarina, no Brasil, comemorou o primeiro centenário da sua fundação. Nesse ano, o curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Comunitária da Região de Chapecó (Unochapecó) organizou um ciclo de palestras designado Memórias Para O Futuro, com o modesto objetivo de pensar no futuro da cidade.

As palestras eram estruturadas em três temas: identidade, infraestrutura e qualidade de vida. A partir deste conjunto de palestras, um livro foi sendo escrito. A produção do livro foi objeto de inúmeras vicissitudes editoriais: é basicamente um milagre, você, leitor, estar lendo estas palavras.

Dentro desse longo processo de resiliência editorial, o livro evoluiu para uma organização em duas linhas narrativas: Futuro e Memórias.

A linha do Futuro foi escrita por Flávio Carsalade, Diego Capandeguy e Ricardo Côrrea. Todos são autores de fora de Chapecó que não tinham conhecimento da cidade antes do convite. Eles foram chamados para trazer uma visão propositalmente de fora, cosmopolita e nova para cidade.

A linha da Memória foi escrita por Ana Laura Vianna Villela, Arlene Renk e Mirian Carbonera. Todas são pessoas da região, professoras da Unochapecó e olham para o passado de Chapecó. Esta linha aborda o processo de urbanização, a história das etnogêneses e identidades, e os primeiros habitantes de Chapecó e da região do oeste catarinense.

Aos autores foi dada muita liberdade editorial na interpretação dos eixos identidade, infraestrutura e qualidade de vida, mas foi apresentada uma estrutura para os seus textos. A estrutura divide os textos em artigo, reflexão pedagógica e insinuação.

Nos artigos, os autores apresentam uma reflexão/síntese sobre os temas da sua produção, com um caráter mais focado no campo de atuação específico de cada autor.

A reflexão pedagógica parte dos artigos, fazendo a seguinte pergunta aos autores: o que é preciso que os alunos de Arquitetura e Urbanismo aprendam, hoje, para que possam ter as competências e habilidades necessárias para dominar as temáticas abordadas?

Clique para
Baixar o PDF

Deixe uma resposta


Desenvolvido pela Quanta Comunicação