Mariângela Spotti Lopes Fujita – Política De Indexação Para Bibliotecas: Elaboração, Avaliação E Implantação

A política de indexação pode ser determinada por diversos fatores em uma unidade de informação, desde a seleção de tipos de documentos a serem indexados, procedimentos de análise e representação de assuntos, aspectos qualitativos da indexação como precisão, especificidade, exaustividade e revocação, instrumentos de controle de vocabulário tais como linguagens documentárias ou opção por trabalhar com linguagem natural, além da avaliação da indexação pela consistência e pela recuperação.
Todos esses fatores, entretanto, ganham significado quando aplicados ao contexto interdisciplinar da biblioteca universitária que possui finalidades e objetivos e abriga condições em seu ambiente quanto à natureza da informação produzida e solicitada, bem como características interdisciplinares da comunidade científica de seus usuários.
Nesse sentido, é perfeitamente possível supor que as decisões emanadas de uma política de indexação sejam adequadas à combinação de diferentes variáveis existentes na biblioteca universitária ou em um sistema de bibliotecas universitárias, de tal modo que a linguagem livre seja adotada em combinação com uma linguagem de indexação para sua atualização, que a linguagem de indexação seja de elaboração própria sem compatibilização com outra linguagem, ou que, em função da falta de infraestrutura tecnológica, o catálogo não possa estar online, mas tão somente em rede interna e por isso todos os registros bibliográficos e de autoridades necessitam ser, necessariamente, construídos e não compartilhados. Mais outras variáveis combinadas podem ter outros resultados diferentes conforme o contexto de decisão da política de indexação, o que, certamente afetará, em maior ou menor medida, a recuperação da informação, objetivo final da política de indexação.
O fato é que a existência de uma política de indexação e seu registro oficial pela biblioteca ou sistema tem a função de circunstanciar as condições daquele momento para o respaldo das decisões a respeito de elementos da política de indexação, como por exemplo, a exaustividade e a especificidade da indexação, o processo de indexação e a linguagem de indexação no que tange a sua especificidade e exaustividade. Em outro momento do desenvolvimento e após sua avaliação, a política de indexação poderá ser modificada em função da melhoria de condições de infraestrutura ou por solicitação da comunidade usuária. Desse modo, além da função de negociação das decisões sobre a indexação, do registro das decisões bem como das circunstâncias envolvidas, a principal função da política de indexação é, fundamentalmente, orientar e sistematizar o trabalho do indexador para o aprimoramento da indexação e, por conseguinte, da recuperação da informação.


Deixe uma resposta

Mariângela Spotti Lopes Fujita – Política De Indexação Para Bibliotecas: Elaboração, Avaliação E Implantação

A política de indexação pode ser determinada por diversos fatores em uma unidade de informação, desde a seleção de tipos de documentos a serem indexados, procedimentos de análise e representação de assuntos, aspectos qualitativos da indexação como precisão, especificidade, exaustividade e revocação, instrumentos de controle de vocabulário tais como linguagens documentárias ou opção por trabalhar com linguagem natural, além da avaliação da indexação pela consistência e pela recuperação.
Todos esses fatores, entretanto, ganham significado quando aplicados ao contexto interdisciplinar da biblioteca universitária que possui finalidades e objetivos e abriga condições em seu ambiente quanto à natureza da informação produzida e solicitada, bem como características interdisciplinares da comunidade científica de seus usuários.
Nesse sentido, é perfeitamente possível supor que as decisões emanadas de uma política de indexação sejam adequadas à combinação de diferentes variáveis existentes na biblioteca universitária ou em um sistema de bibliotecas universitárias, de tal modo que a linguagem livre seja adotada em combinação com uma linguagem de indexação para sua atualização, que a linguagem de indexação seja de elaboração própria sem compatibilização com outra linguagem, ou que, em função da falta de infraestrutura tecnológica, o catálogo não possa estar online, mas tão somente em rede interna e por isso todos os registros bibliográficos e de autoridades necessitam ser, necessariamente, construídos e não compartilhados. Mais outras variáveis combinadas podem ter outros resultados diferentes conforme o contexto de decisão da política de indexação, o que, certamente afetará, em maior ou menor medida, a recuperação da informação, objetivo final da política de indexação.
O fato é que a existência de uma política de indexação e seu registro oficial pela biblioteca ou sistema tem a função de circunstanciar as condições daquele momento para o respaldo das decisões a respeito de elementos da política de indexação, como por exemplo, a exaustividade e a especificidade da indexação, o processo de indexação e a linguagem de indexação no que tange a sua especificidade e exaustividade. Em outro momento do desenvolvimento e após sua avaliação, a política de indexação poderá ser modificada em função da melhoria de condições de infraestrutura ou por solicitação da comunidade usuária. Desse modo, além da função de negociação das decisões sobre a indexação, do registro das decisões bem como das circunstâncias envolvidas, a principal função da política de indexação é, fundamentalmente, orientar e sistematizar o trabalho do indexador para o aprimoramento da indexação e, por conseguinte, da recuperação da informação.


Deixe uma resposta


Desenvolvido pela Quanta Comunicação