Marcio Viera De Souza & Kamil Giglio (Orgs.) – Mídias Digitais, Redes Sociais E Educação Em Rede: Experiências Nas Pesquisas E Extensão Universitária

Vivemos dentro de redes de conversação que são externas e internas. Dentro delas atravessamos fases de incubação e transformação. Educação é um processo que nos acompanha ao longo de toda vida. Toda cognição é social. Somos dentro das diferentes linguagens que nos definem enquanto ser no mundo. Um ser sendo que vai, aos poucos, desaparecendo.
Livros são agentes conscientes, seres com vida própria que, depois de paridos, e mesmo antes, assumem o controle de suas vidas (e das nossas).
Nós e os livros somos actantes 1 dentro de um mundo de coisas que não são coisas, pois que, como todo ser vivo, se animam e se movem em busca de significado.
O presente livro fala de Mídias Digitais; Redes Sociais e Educação em Rede.
Cada experiência de aprendizagem é algo único e mágico. Aristóteles fala de “phronesis” que, para Heidegger, é o mesmo que falar de consciência.
Vivemos em um multiverso dentro do qual navega esta tal consciência. Viver em rede é reconhecer-se uma multidão fragmentada e dispersa que, segundo Carl Gustav Jung, precisa ser reunida para dar nascimento ao Self. A caverna de Platão se transformou na caverna digital de Donald Hoffmann.
Acessamos o mundo real por meio de ícones, símbolos. A caverna das montanhas da Grécia Antiga se metamorfoseou nas telas dos computadores modernos.
Dentro dos mundos criados pela nossa imaginação vivem os livros. O presente tem muitos autores: muitos pais e muitas mães. Filho de uma inteligência coletiva é este ser que ora desafia o leitor para uma aventura.
Inovar é trair, revolucionar. Se a deusa Hera corresponde à tradição, é preciso trair a deusa para construir algo sem precedente.
Por um lado, temos uma das piores internets do mundo, uma das mais caras. Paradoxalmente temos mais de cem milhões de brasileiros “conectados”, a grande maioria, jovens. Mas temos outras possibilidades, como a web radio.


Deixe uma resposta

Marcio Viera De Souza & Kamil Giglio (Orgs.) – Mídias Digitais, Redes Sociais E Educação Em Rede: Experiências Nas Pesquisas E Extensão Universitária

Vivemos dentro de redes de conversação que são externas e internas. Dentro delas atravessamos fases de incubação e transformação. Educação é um processo que nos acompanha ao longo de toda vida. Toda cognição é social. Somos dentro das diferentes linguagens que nos definem enquanto ser no mundo. Um ser sendo que vai, aos poucos, desaparecendo.
Livros são agentes conscientes, seres com vida própria que, depois de paridos, e mesmo antes, assumem o controle de suas vidas (e das nossas).
Nós e os livros somos actantes 1 dentro de um mundo de coisas que não são coisas, pois que, como todo ser vivo, se animam e se movem em busca de significado.
O presente livro fala de Mídias Digitais; Redes Sociais e Educação em Rede.
Cada experiência de aprendizagem é algo único e mágico. Aristóteles fala de “phronesis” que, para Heidegger, é o mesmo que falar de consciência.
Vivemos em um multiverso dentro do qual navega esta tal consciência. Viver em rede é reconhecer-se uma multidão fragmentada e dispersa que, segundo Carl Gustav Jung, precisa ser reunida para dar nascimento ao Self. A caverna de Platão se transformou na caverna digital de Donald Hoffmann.
Acessamos o mundo real por meio de ícones, símbolos. A caverna das montanhas da Grécia Antiga se metamorfoseou nas telas dos computadores modernos.
Dentro dos mundos criados pela nossa imaginação vivem os livros. O presente tem muitos autores: muitos pais e muitas mães. Filho de uma inteligência coletiva é este ser que ora desafia o leitor para uma aventura.
Inovar é trair, revolucionar. Se a deusa Hera corresponde à tradição, é preciso trair a deusa para construir algo sem precedente.
Por um lado, temos uma das piores internets do mundo, uma das mais caras. Paradoxalmente temos mais de cem milhões de brasileiros “conectados”, a grande maioria, jovens. Mas temos outras possibilidades, como a web radio.


Deixe uma resposta


Desenvolvido pela Quanta Comunicação