Márcia Maria De Medeiros – A Construção Da Figura Religiosa No Romance De Cavalaria

Este trabalho se propõe a analisar a construção da figura religiosa dentro do romance de cavalaria levando em conta o imaginário popular.

Márcia Maria De Medeiros – A Construção Da Figura Religiosa No Romance De Cavalaria

Artes correlatas, História e Literatura apenas há pouco tempo se encontraram no campo da ciência e há menos tempo ainda passaram a auxiliar uma a outra no desvendar dos mistérios que constroem a intelectualidade umana.

Buscando entrelaçar essas duas instâncias do conhecimento, este trabalho se propõe a analisar a construção da figura religiosa dentro do romance de cavalaria levando em conta o imaginário popular relacionado aos usos e costumes do homem medieval.

Sabe-se que a Idade Média é um período pleno de influências relativas ao processo de dominação ideológica perpetrado pela Igreja Católica. Várias análises de cunho literário foram feitas ressaltando esse aspecto, levando em consideração a figura do cavaleiro como herói santificado ou senhor feudal de uma classe dominante, cujo reflexo social mostra o substrato da Santíssima Trindade.

Entretanto, há que se ressaltar que nenhuma sociedade vive sem a presença do religioso dentro de seus aspectos de formação. A religiosidade é parte inerente da cultura de um povo.

Pelos textos lidos, observa-se que existe uma lacuna a ser preenchida: analisar a construção da figura religiosa dentro do romance de cavalaria permitirá compreender de forma mais precisa as maneiras pelas quais o homem medieval projetava as suas categorizações transcendentais de vida e procurava prover de sentido seu universo.

No contexto relacionado ao imenso campo fluido que é a cultura medieval surgem elementos que se destacam na literatura, por ressaltarem o imaginário do período em questão: a religiosidade é exemplo desse processo e, nos romances estudados ela se destaca de forma direta, quer seja na figura dos cavaleiros, quer seja na presença clerical propriamente dita, a qual representa no enredo das histórias um elemento de suma importância pelas lições de moral que oferece aos incautos, caso, por exemplo, da figura dos ermitões.

O livro A Construção Da Figura Religiosa No Romance De Cavalariatem por objetivo traçar um paralelo demonstrativo da linha tênue que separa a cultura erudita da cultura popular no universo que envolve a Idade Média. Para tanto se pauta na análise de dois romances de cavalaria: O Merlim, de suposta autoria de Robert de Boron e A História de Melusina ou O Romance dos Lusignan de Jean D’Arras.

A partir da análise dos dois textos, é possível entender o universo que cercava o pensamento dos homens e mulheres do medievo e o reflexo desse pensamento na história do Ocidente, perseguindo seus rastros até os dias atuais.

Clique para
Baixar o PDF

Deixe uma resposta

Márcia Maria De Medeiros – A Construção Da Figura Religiosa No Romance De Cavalaria

Este trabalho se propõe a analisar a construção da figura religiosa dentro do romance de cavalaria levando em conta o imaginário popular.

Márcia Maria De Medeiros - A Construção Da Figura Religiosa No Romance De Cavalaria

Artes correlatas, História e Literatura apenas há pouco tempo se encontraram no campo da ciência e há menos tempo ainda passaram a auxiliar uma a outra no desvendar dos mistérios que constroem a intelectualidade umana.

Buscando entrelaçar essas duas instâncias do conhecimento, este trabalho se propõe a analisar a construção da figura religiosa dentro do romance de cavalaria levando em conta o imaginário popular relacionado aos usos e costumes do homem medieval.

Sabe-se que a Idade Média é um período pleno de influências relativas ao processo de dominação ideológica perpetrado pela Igreja Católica. Várias análises de cunho literário foram feitas ressaltando esse aspecto, levando em consideração a figura do cavaleiro como herói santificado ou senhor feudal de uma classe dominante, cujo reflexo social mostra o substrato da Santíssima Trindade.

Entretanto, há que se ressaltar que nenhuma sociedade vive sem a presença do religioso dentro de seus aspectos de formação. A religiosidade é parte inerente da cultura de um povo.

Pelos textos lidos, observa-se que existe uma lacuna a ser preenchida: analisar a construção da figura religiosa dentro do romance de cavalaria permitirá compreender de forma mais precisa as maneiras pelas quais o homem medieval projetava as suas categorizações transcendentais de vida e procurava prover de sentido seu universo.

No contexto relacionado ao imenso campo fluido que é a cultura medieval surgem elementos que se destacam na literatura, por ressaltarem o imaginário do período em questão: a religiosidade é exemplo desse processo e, nos romances estudados ela se destaca de forma direta, quer seja na figura dos cavaleiros, quer seja na presença clerical propriamente dita, a qual representa no enredo das histórias um elemento de suma importância pelas lições de moral que oferece aos incautos, caso, por exemplo, da figura dos ermitões.

O livro A Construção Da Figura Religiosa No Romance De Cavalariatem por objetivo traçar um paralelo demonstrativo da linha tênue que separa a cultura erudita da cultura popular no universo que envolve a Idade Média. Para tanto se pauta na análise de dois romances de cavalaria: O Merlim, de suposta autoria de Robert de Boron e A História de Melusina ou O Romance dos Lusignan de Jean D’Arras.

A partir da análise dos dois textos, é possível entender o universo que cercava o pensamento dos homens e mulheres do medievo e o reflexo desse pensamento na história do Ocidente, perseguindo seus rastros até os dias atuais.

Clique para
Baixar o PDF

Deixe uma resposta