Liliane Pereira De Souza (Org.) – Mas Ele Nunca Me Bateu

Mas Ele Nunca Me Bateu traz histórias de mulheres reais que enviaram seus relatos voluntariamente como uma forma de desabafo.

Débora Fernandes – Mas Ele Nunca Me Bateu

“Frase que eu sempre ouvia quando reclamava do meu ex para alguém da família. “AH MENINA ELE É TÃO BOM, TRABALHADOR. NUNCA TE BATEU”.

Bateu sim, bateu em lugares que não apareciam, deixou marcas que não se curam como as físicas. Ele roubou boa parte da minha vida.

Eu não imaginava a imensidão de mulheres que eu iria alcançar que eu iria salvar.

Hoje, um ano e quatro meses depois somos mais de 153 mil mulheres unidas em um só causa. Atualmente, somos a maior plataforma digital de acolhimento a vitimas de relacionamento abusivo e violência doméstica no Instagram! Temos um grupo de psicólogas voluntárias que ajudam essas mulheres, temos um grupo de advogadas que ajudam também.”

Débora Fernandes

“Todas essas histórias são de mulheres reais que enviaram seus relatos voluntariamente para a página do instagram @maselenuncamebateu como uma forma de desabafo porque sabem que ali não haverá julgamento, haverá acolhimento.

Nenhum nome foi divulgado neste livro. Escolhemos nomes de flores para manter o anonimato. Os relatos que vocês irão ler estão na íntegra, conforme enviados para a página que foi criada pela Débora.

Foi uma grande honra ser a organizadora deste livro. Eu pesquiso violências há 14 anos e a cada relato, os sentimentos causam indignação e esperança de justiça. Essas violências que começam de maneira tão sutil podem acabar em cicatrizes profundas no corpo, na alma e, muitas vezes, acabam com a vida da vítima. Toda violência é grave. Nada justifica qualquer tipo de violência.

Precisamos falar dessas violências que matam tantas mulheres todos os dias, que as adoecem por viver um relacionamento abusivo. Essas mulheres podem ser nossas mães, amigas, irmãs, colegas de trabalho, conhecidas, alguém da família, amigas de infância, nós mesmas. Débora, gratidão pela confiança para publicação deste livro contando sobre a página e esse trabalho de conscientização de não violência.”

Liliane Pereira De Souza (Org.)


Deixe uma resposta

Liliane Pereira De Souza (Org.) – Mas Ele Nunca Me Bateu

Mas Ele Nunca Me Bateu traz histórias de mulheres reais que enviaram seus relatos voluntariamente como uma forma de desabafo.

Débora Fernandes - Mas Ele Nunca Me Bateu

"Frase que eu sempre ouvia quando reclamava do meu ex para alguém da família. "AH MENINA ELE É TÃO BOM, TRABALHADOR. NUNCA TE BATEU".

Bateu sim, bateu em lugares que não apareciam, deixou marcas que não se curam como as físicas. Ele roubou boa parte da minha vida.

Eu não imaginava a imensidão de mulheres que eu iria alcançar que eu iria salvar.

Hoje, um ano e quatro meses depois somos mais de 153 mil mulheres unidas em um só causa. Atualmente, somos a maior plataforma digital de acolhimento a vitimas de relacionamento abusivo e violência doméstica no Instagram! Temos um grupo de psicólogas voluntárias que ajudam essas mulheres, temos um grupo de advogadas que ajudam também."

Débora Fernandes

"Todas essas histórias são de mulheres reais que enviaram seus relatos voluntariamente para a página do instagram @maselenuncamebateu como uma forma de desabafo porque sabem que ali não haverá julgamento, haverá acolhimento.

Nenhum nome foi divulgado neste livro. Escolhemos nomes de flores para manter o anonimato. Os relatos que vocês irão ler estão na íntegra, conforme enviados para a página que foi criada pela Débora.

Foi uma grande honra ser a organizadora deste livro. Eu pesquiso violências há 14 anos e a cada relato, os sentimentos causam indignação e esperança de justiça. Essas violências que começam de maneira tão sutil podem acabar em cicatrizes profundas no corpo, na alma e, muitas vezes, acabam com a vida da vítima. Toda violência é grave. Nada justifica qualquer tipo de violência.

Precisamos falar dessas violências que matam tantas mulheres todos os dias, que as adoecem por viver um relacionamento abusivo. Essas mulheres podem ser nossas mães, amigas, irmãs, colegas de trabalho, conhecidas, alguém da família, amigas de infância, nós mesmas. Débora, gratidão pela confiança para publicação deste livro contando sobre a página e esse trabalho de conscientização de não violência."

Liliane Pereira De Souza (Org.)


Deixe uma resposta


Desenvolvido pela Quanta Comunicação