Leonardo Francisco Soares & Outros (Orgs.) – Interfaces

A coletânea Interfaces: Literatura, Artes E Mídias propõe um diálogo transdisciplinar enfocando temas e recortes variados.

Leonardo Francisco Soares, Ivan Marcos Ribeiro, Kenia Maria De Almeida Pereira & Gilson José Dos Santos (Orgs.) – Interfaces: Literatura, Artes E Mídias

Produto de discussões inquietantes na contemporaneidade, os estudos sobre as interfaces entre literatura e outras artes/mídias têm encontrado grande aceitação na academia nas últimas décadas. Desde as discussões sobre o Ut pictura poesis, o que se tem percebido é que a literatura não se apresenta mais “como pintura”, nas palavras de Horácio, mas tem se ampliado numa relação com um leque de outras artes/disciplinas, enriquecendo o âmbito verbal em confluência com o visual, o sonoro, o virtual, entre outros.

Assim sendo, na contemporaneidade, a expressão horaciana assume as feições de literatura “como cinema, música, escultura, dança, arquitetura, quadrinhos”, entre outras manifestações estéticas da atualidade, como o teatro, performances e instalações artísticas.

Este Interfaces: Literatura, Artes E Mídias, portanto, propõe um diálogo transdisciplinar enfocando temas e recortes variados, sendo uma contribuição relevante para esse campo de pesquisas, ao reunir trabalhos expressivos que traduzem algumas das relações intermidiáticas sensíveis ao presente.

Os estudos incluídos neste volume abordam, nunca isoladamente, a pintura, a música, o canto, as imagens poéticas, as imagens-movimento e as imagens-tempo do cinema, a tradução, o mito, a fotografia, o documentário… enfim, a literatura em diferentes faces e interfaces.

Como se poderá comprovar, o conjunto revela-se matizado, diversificado. Estudiosos advindos de instituições e de áreas de atuação diferentes, atentos aos diálogos entre os saberes e as disciplinas, aceitaram o convite para o debate proposto com intervenções instigantes e provocadoras, que tratam do tema sob ângulos e perspectivas teóricas múltiplas.

Como Roland Barthes em Fragmentos de um discurso amoroso, diante de dis-cursos que correm para todos os lados, cheios de idas e vindas, chegamos à conclusão de que estes textos aqui reunidos não encontram uma “arrumação”, uma “ordenação”, um “caminho” que concorra para um fim – “não há primeiras nem últimas”. Assim também submetemos este conjunto variegado ao arbitrário da ordem do nosso alfabeto.


Deixe uma resposta

Leonardo Francisco Soares & Outros (Orgs.) – Interfaces

A coletânea Interfaces: Literatura, Artes E Mídias propõe um diálogo transdisciplinar enfocando temas e recortes variados.

Leonardo Francisco Soares, Ivan Marcos Ribeiro, Kenia Maria De Almeida Pereira & Gilson José Dos Santos (Orgs.) - Interfaces: Literatura, Artes E Mídias

Produto de discussões inquietantes na contemporaneidade, os estudos sobre as interfaces entre literatura e outras artes/mídias têm encontrado grande aceitação na academia nas últimas décadas. Desde as discussões sobre o Ut pictura poesis, o que se tem percebido é que a literatura não se apresenta mais “como pintura”, nas palavras de Horácio, mas tem se ampliado numa relação com um leque de outras artes/disciplinas, enriquecendo o âmbito verbal em confluência com o visual, o sonoro, o virtual, entre outros.

Assim sendo, na contemporaneidade, a expressão horaciana assume as feições de literatura “como cinema, música, escultura, dança, arquitetura, quadrinhos”, entre outras manifestações estéticas da atualidade, como o teatro, performances e instalações artísticas.

Este Interfaces: Literatura, Artes E Mídias, portanto, propõe um diálogo transdisciplinar enfocando temas e recortes variados, sendo uma contribuição relevante para esse campo de pesquisas, ao reunir trabalhos expressivos que traduzem algumas das relações intermidiáticas sensíveis ao presente.

Os estudos incluídos neste volume abordam, nunca isoladamente, a pintura, a música, o canto, as imagens poéticas, as imagens-movimento e as imagens-tempo do cinema, a tradução, o mito, a fotografia, o documentário… enfim, a literatura em diferentes faces e interfaces.

Como se poderá comprovar, o conjunto revela-se matizado, diversificado. Estudiosos advindos de instituições e de áreas de atuação diferentes, atentos aos diálogos entre os saberes e as disciplinas, aceitaram o convite para o debate proposto com intervenções instigantes e provocadoras, que tratam do tema sob ângulos e perspectivas teóricas múltiplas.

Como Roland Barthes em Fragmentos de um discurso amoroso, diante de dis-cursos que correm para todos os lados, cheios de idas e vindas, chegamos à conclusão de que estes textos aqui reunidos não encontram uma “arrumação”, uma “ordenação”, um “caminho” que concorra para um fim – “não há primeiras nem últimas”. Assim também submetemos este conjunto variegado ao arbitrário da ordem do nosso alfabeto.


Deixe uma resposta


Desenvolvido pela Quanta Comunicação