Klaus Frey & Outros (Orgs.) – Objetivos Do Desenvolvimento Sustentável

Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável têm-se tornado uma fonte importante de debate e mobilização na proposição de políticas públicas.

Klaus Frey, Pedro Roberto Jacobi, Ruth Cristina Ferreira Ramos & Pedro Henrique Campello Torres (Orgs.) – Objetivos Do Desenvolvimento Sustentável: Desafios Para O Planejamento E A Governança Ambiental Na Macrometrópole Paulista

Quatro anos depois de sua aprovação pelas Nações Unidas, os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável têm-se tornado uma fonte importante de debate e mobilização na proposição de políticas públicas em muitos países, incluído o Brasil.

Este livro tem três grandes méritos: 1- contribui para a reflexão sobre o papel e a dinâmica dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável no mundo, objeto de ampla literatura internacional; 2- realiza uma revisão crítica da adaptação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável à realidade brasileira (coordenada pelo Ipea em 2018); 3- realiza um diagnóstico original e de alta qualidade da situação atual dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável na Macrometrópole Paulista (MMP) e, em vários casos, prospecta a dinâmica futura, incluindo recomendações sobre o melhor modo de avançar.

Dado que a maior parte dos capítulos tem consistente fundamentação empírica e quantitativa e que a MMP é uma das mais importantes regiões metropolitanas do mundo – levando-se em consideração critérios de população, território, tamanho da economia e impacto ambiental – trata-se de uma contribuição de relevância mundial.

Os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável têm forte componente normativo e, por isso, sua análise terá sempre um significativo componente ideológico filosófico. Mesmo que as ideologias políticas tenham perdido parte de sua importância no século 21, elas ainda continuam sendo uma referência relevante.

No século 21, podemos dividir as ideologias predominantes no mundo democrático em cinco grandes famílias: conservadora, liberal, socialdemocrata, verde e socialista, sendo que, nos últimos anos, parte importante do conservadorismo tornou-se populista.

A maior parte dos capítulos deste livro parte de um enfoque ideológico socialista ou verde. Uns poucos se inscrevem na tradição socialdemocrata e estão ausentes as ideologias liberal e conservadora. No caso desta última, a ausência não é surpreendente, dado que a própria ideia do desenvolvimento sustentável é incompatível com o conservadorismo político, seja tradicional ou populista. Sente-se a falta, no entanto, de enfoques liberais, que completariam o pluralismo de uma publicação dessa envergadura.


Deixe uma resposta

Klaus Frey & Outros (Orgs.) – Objetivos Do Desenvolvimento Sustentável

Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável têm-se tornado uma fonte importante de debate e mobilização na proposição de políticas públicas.

Klaus Frey, Pedro Roberto Jacobi, Ruth Cristina Ferreira Ramos & Pedro Henrique Campello Torres (Orgs.) - Objetivos Do Desenvolvimento Sustentável: Desafios Para O Planejamento E A Governança Ambiental Na Macrometrópole Paulista

Quatro anos depois de sua aprovação pelas Nações Unidas, os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável têm-se tornado uma fonte importante de debate e mobilização na proposição de políticas públicas em muitos países, incluído o Brasil.

Este livro tem três grandes méritos: 1- contribui para a reflexão sobre o papel e a dinâmica dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável no mundo, objeto de ampla literatura internacional; 2- realiza uma revisão crítica da adaptação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável à realidade brasileira (coordenada pelo Ipea em 2018); 3- realiza um diagnóstico original e de alta qualidade da situação atual dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável na Macrometrópole Paulista (MMP) e, em vários casos, prospecta a dinâmica futura, incluindo recomendações sobre o melhor modo de avançar.

Dado que a maior parte dos capítulos tem consistente fundamentação empírica e quantitativa e que a MMP é uma das mais importantes regiões metropolitanas do mundo – levando-se em consideração critérios de população, território, tamanho da economia e impacto ambiental – trata-se de uma contribuição de relevância mundial.

Os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável têm forte componente normativo e, por isso, sua análise terá sempre um significativo componente ideológico filosófico. Mesmo que as ideologias políticas tenham perdido parte de sua importância no século 21, elas ainda continuam sendo uma referência relevante.

No século 21, podemos dividir as ideologias predominantes no mundo democrático em cinco grandes famílias: conservadora, liberal, socialdemocrata, verde e socialista, sendo que, nos últimos anos, parte importante do conservadorismo tornou-se populista.

A maior parte dos capítulos deste livro parte de um enfoque ideológico socialista ou verde. Uns poucos se inscrevem na tradição socialdemocrata e estão ausentes as ideologias liberal e conservadora. No caso desta última, a ausência não é surpreendente, dado que a própria ideia do desenvolvimento sustentável é incompatível com o conservadorismo político, seja tradicional ou populista. Sente-se a falta, no entanto, de enfoques liberais, que completariam o pluralismo de uma publicação dessa envergadura.


Deixe uma resposta


Desenvolvido pela Quanta Comunicação