José Carmelo Braz De Carvalho & Merise Santos De Carvalho (Orgs.) – Classes Comunitárias Pré-Técnicas E Pré-Profissionais

Uma das principais preocupações das comunidades pobres do Rio de Janeiro é o futuro de seus adolescentes, diante da ausência de alternativas de educação pós-fundamental. A falta de qualidade da escola pública fundamental tem causado lacunas no aprendizado e, por isso, o nível de acesso dos alunos de comunidades carentes aos cursos de educação técnica profissional é baixo. A probabilidade de que esses jovens tenham acesso ao mundo do trabalho é mínima. Muitos deles são incorporados pelo mercado paralelo do ambulante, do tráfico, da milícia.
Com o intuito de reverter esse quadro, a partir de 1998 surgiram movimentos voluntários das diferentes comunidades da região metropolitana do Rio de Janeiro, e constituiu-se um grupo de trabalho formado por educadores voluntários, de fora das comunidades, para colaborar técnica e pedagogicamente com as coordenações das Classes Comunitárias Pré-Técnicas (CCPT’s).
O livro Classes comunitárias pré-técnicas e pré-profissionais: bases para a escolaridade e a trabalhabilidade permanentes, organizado por José Carmelo Braz de Carvalho (Educação, PUC-Rio) e Merise Santos de Carvalho, surge das reflexões do grupo de apoio às CCPT’s da região metropolitana do Rio de Janeiro. Com o objetivo de fornecer subsídios para as iniciativas comunitárias, relata as experiências de pioneiros das comunidades que deram origem às primeiras classes e os conhecimentos dos profissionais da rede de apoio ao movimento.


Deixe uma resposta

José Carmelo Braz De Carvalho & Merise Santos De Carvalho (Orgs.) – Classes Comunitárias Pré-Técnicas E Pré-Profissionais

Uma das principais preocupações das comunidades pobres do Rio de Janeiro é o futuro de seus adolescentes, diante da ausência de alternativas de educação pós-fundamental. A falta de qualidade da escola pública fundamental tem causado lacunas no aprendizado e, por isso, o nível de acesso dos alunos de comunidades carentes aos cursos de educação técnica profissional é baixo. A probabilidade de que esses jovens tenham acesso ao mundo do trabalho é mínima. Muitos deles são incorporados pelo mercado paralelo do ambulante, do tráfico, da milícia.
Com o intuito de reverter esse quadro, a partir de 1998 surgiram movimentos voluntários das diferentes comunidades da região metropolitana do Rio de Janeiro, e constituiu-se um grupo de trabalho formado por educadores voluntários, de fora das comunidades, para colaborar técnica e pedagogicamente com as coordenações das Classes Comunitárias Pré-Técnicas (CCPT’s).
O livro Classes comunitárias pré-técnicas e pré-profissionais: bases para a escolaridade e a trabalhabilidade permanentes, organizado por José Carmelo Braz de Carvalho (Educação, PUC-Rio) e Merise Santos de Carvalho, surge das reflexões do grupo de apoio às CCPT’s da região metropolitana do Rio de Janeiro. Com o objetivo de fornecer subsídios para as iniciativas comunitárias, relata as experiências de pioneiros das comunidades que deram origem às primeiras classes e os conhecimentos dos profissionais da rede de apoio ao movimento.


Deixe uma resposta


Desenvolvido pela Quanta Comunicação