José Auricélio Gois Lima – A Natureza Contraditória Da Geração De Energia Eólica No Nordeste Do Brasil

Trata da produção e do consumo de energia, focando na geração de energia elétrica com base na força cinética dos ventos, a energia eólica.

José Auricélio Gois Lima – A Natureza Contraditória Da Geração De Energia Eólica No Nordeste Do Brasil

A Natureza Contraditória Da Geração De Energia Eólica No Nordeste Do Brasil se insere na temática da energia, no campo da sua produção e do seu consumo, especificamente, na geração de energia elétrica com base na força cinética dos ventos, a energia eólica.

A proposta analítica se dá sobre as relações que instauram um fenômeno recente e contemporâneo de mudança, reestruturação espacial e de expansão da produção de energia baseada em grandes projetos industriais de geração.

Tal expansão é posta em movimento por um complexo técnico-científico-industrial-financeiro, que inaugura um período histórico-geográfico de exploração energética baseada em fontes não tradicionais.

A característica intrínseca da produção eólica em grande escala é que, para a sua materialização, há a necessidade premente da incorporação de espaços, de extensas faixas de terras e de territórios, principalmente, para aquelas classificadas e delimitadas pelo estado e por agentes de produção como “reservas” de matérias-primas naturais.

São áreas e regiões almejadas e disputadas para onde convergem e são implantados os megaempreendimentos de geração e para as quais é acionado todo o complexo técnico-científico-industrial-financeiro com seus instrumentos de apropriação, extração e transformação material-energética.

Imbuído, porém, de um projeto (neo)desenvolvimentista, de um discurso de produção “limpo”, sustentável e renovável, seu movimento de realização e expansão, produz e reproduz, contraditoriamente, estruturas heterogêneas e desigualdades, mediante o controle de uso da terra e de recursos.

Reconfigura social e espacialmente regiões onde são implementadas as usinas geradoras, intensificando novas relações de produção com a instalação e operação de gigantescos sistemas de engenharia e de tecnologia estranhos ao lugar.

A Natureza Contraditória Da Geração De Energia Eólica No Nordeste Do Brasil tem o intuito de “contribuir com a análise e a compreensão dos processos que têm configurado uma nova política de produção energética por fonte eólica no Brasil, notadamente sobre a Região Nordeste como recorte espacial de análise”.

Clique para
Baixar o PDF

Deixe uma resposta

José Auricélio Gois Lima – A Natureza Contraditória Da Geração De Energia Eólica No Nordeste Do Brasil

Trata da produção e do consumo de energia, focando na geração de energia elétrica com base na força cinética dos ventos, a energia eólica.

José Auricélio Gois Lima - A Natureza Contraditória Da Geração De Energia Eólica No Nordeste Do Brasil

A Natureza Contraditória Da Geração De Energia Eólica No Nordeste Do Brasil se insere na temática da energia, no campo da sua produção e do seu consumo, especificamente, na geração de energia elétrica com base na força cinética dos ventos, a energia eólica.

A proposta analítica se dá sobre as relações que instauram um fenômeno recente e contemporâneo de mudança, reestruturação espacial e de expansão da produção de energia baseada em grandes projetos industriais de geração.

Tal expansão é posta em movimento por um complexo técnico-científico-industrial-financeiro, que inaugura um período histórico-geográfico de exploração energética baseada em fontes não tradicionais.

A característica intrínseca da produção eólica em grande escala é que, para a sua materialização, há a necessidade premente da incorporação de espaços, de extensas faixas de terras e de territórios, principalmente, para aquelas classificadas e delimitadas pelo estado e por agentes de produção como “reservas” de matérias-primas naturais.

São áreas e regiões almejadas e disputadas para onde convergem e são implantados os megaempreendimentos de geração e para as quais é acionado todo o complexo técnico-científico-industrial-financeiro com seus instrumentos de apropriação, extração e transformação material-energética.

Imbuído, porém, de um projeto (neo)desenvolvimentista, de um discurso de produção “limpo”, sustentável e renovável, seu movimento de realização e expansão, produz e reproduz, contraditoriamente, estruturas heterogêneas e desigualdades, mediante o controle de uso da terra e de recursos.

Reconfigura social e espacialmente regiões onde são implementadas as usinas geradoras, intensificando novas relações de produção com a instalação e operação de gigantescos sistemas de engenharia e de tecnologia estranhos ao lugar.

A Natureza Contraditória Da Geração De Energia Eólica No Nordeste Do Brasil tem o intuito de “contribuir com a análise e a compreensão dos processos que têm configurado uma nova política de produção energética por fonte eólica no Brasil, notadamente sobre a Região Nordeste como recorte espacial de análise”.

Clique para
Baixar o PDF

Deixe uma resposta