John Boyd & Philip Zimbardo – O Paradoxo Do Tempo: Você Vive Preso Ao Passado, Viciado No Presente Ou Refém Do Futuro?

Em O Paradoxo do Tempo, os autores mostram como o modo de perceber o tempo é único em cada pessoa e indicam como as escolhas de cada um são determinadas pela sua percepção do tempo. Respondendo ao questionário do livro, o leitor pode localizar em qual “zona do tempo” costuma focar seu pensamento – passado, presente ou futuro – e usar essa percepção a seu favor.
Você é transportado à infância quando sente o cheiro de bolo saindo do forno? Usa relógio, toma nota de seus gastos e faz listas de afazeres? Ou então vive atrasado, bem-humorado, cheio de programas, mas sem dinheiro? Você fica matutando sobre o que deu errado em seus relacionamentos passados?
Essas e outras perguntas fazem parte de um relatório minucioso para determinar a sua relação com o tempo, um recurso essencial, mas pouco compreendido. Invisível, porém onipresente e inexorável, o tempo afeta todas as nossas experiências e permeia todos os aspectos de nossas vidas. Cada indivíduo se adapta de maneira diferente, com sua perspectiva temporal única. Fruto de fatores sociais, culturais e pessoais, a perspectiva temporal pode determinar o êxito profissional, o bem-estar psicológico e até influenciar a saúde física.
Os autores de O Paradoxo do Tempo passaram anos estudando a psicologia do tempo, o recurso mais precioso do homem. No livro, apresentam dados científicos sólidos e histórias fascinantes que nos ajudam a compreender como o tempo afeta o ritmo de nossas vidas e o mundo ao nosso redor. O tempo passa para todos: para aqueles orientados para acontecimentos passados, focados nos prazeres do presente ou norteados por metas futuras. Cabe a cada um aproveitá-lo ao máximo e saber como gastá-lo com sabedoria.


Deixe uma resposta

John Boyd & Philip Zimbardo – O Paradoxo Do Tempo: Você Vive Preso Ao Passado, Viciado No Presente Ou Refém Do Futuro?

Em O Paradoxo do Tempo, os autores mostram como o modo de perceber o tempo é único em cada pessoa e indicam como as escolhas de cada um são determinadas pela sua percepção do tempo. Respondendo ao questionário do livro, o leitor pode localizar em qual “zona do tempo” costuma focar seu pensamento – passado, presente ou futuro – e usar essa percepção a seu favor.
Você é transportado à infância quando sente o cheiro de bolo saindo do forno? Usa relógio, toma nota de seus gastos e faz listas de afazeres? Ou então vive atrasado, bem-humorado, cheio de programas, mas sem dinheiro? Você fica matutando sobre o que deu errado em seus relacionamentos passados?
Essas e outras perguntas fazem parte de um relatório minucioso para determinar a sua relação com o tempo, um recurso essencial, mas pouco compreendido. Invisível, porém onipresente e inexorável, o tempo afeta todas as nossas experiências e permeia todos os aspectos de nossas vidas. Cada indivíduo se adapta de maneira diferente, com sua perspectiva temporal única. Fruto de fatores sociais, culturais e pessoais, a perspectiva temporal pode determinar o êxito profissional, o bem-estar psicológico e até influenciar a saúde física.
Os autores de O Paradoxo do Tempo passaram anos estudando a psicologia do tempo, o recurso mais precioso do homem. No livro, apresentam dados científicos sólidos e histórias fascinantes que nos ajudam a compreender como o tempo afeta o ritmo de nossas vidas e o mundo ao nosso redor. O tempo passa para todos: para aqueles orientados para acontecimentos passados, focados nos prazeres do presente ou norteados por metas futuras. Cabe a cada um aproveitá-lo ao máximo e saber como gastá-lo com sabedoria.


Deixe uma resposta


Desenvolvido pela Quanta Comunicação