Joab Brandão – Solidão No Asfalto

Solidão No Asfalto - A solidão assim como o tempo, persegue a todos nós. Agora aceitem seus destinos e tenham uma boa leitura, uma boa viagem

Joab Brandão – Solidão No Asfalto

A solidão assim como o tempo, persegue a todos nós. Agora aceitemos seus destinos e tenham uma boa leitura, uma boa viagem e um ótimo retorno, acompanhados ou não.

Solidão no Asfalto

E como isso explica a solidão?
Bêbado às 9 da manhã
Me pergunto onde a minha consciência foi parar.
E para onde eu estou indo
enquanto desço a rua
com 1 garrafa de cerveja na mão.
Talvez eu esteja indo
para os confins dessa rua,
dessa cidade,
do mundo…
Ou eu esteja somente
me enfiando
cada vez mais
no buraco
da minha chata, vazia
e desobediente
existência,
que é fútil e banal
como a de todo mundo.
Sem novos sabores
ou amores,
sem pôr do sol
no fim da tarde.
Melancolia demasiada.
Sou cru e realista,
quando não estou apaixonado
é claro.
Sei que a nossa agonia diária
nem se compara
com o que se passa
nos jornais.
Morremos aos poucos
enquanto fingimos
e fingimos mais do que morremos.
Eu já estou pronto cara cair.
Eu já estou morto,
só basta o meu coração
parar
de
bater.


Deixe uma resposta

Joab Brandão – Solidão No Asfalto

Solidão No Asfalto - A solidão assim como o tempo, persegue a todos nós. Agora aceitem seus destinos e tenham uma boa leitura, uma boa viagem

Joab Brandão - Solidão No Asfalto

A solidão assim como o tempo, persegue a todos nós. Agora aceitemos seus destinos e tenham uma boa leitura, uma boa viagem e um ótimo retorno, acompanhados ou não.

Solidão no Asfalto

E como isso explica a solidão?
Bêbado às 9 da manhã
Me pergunto onde a minha consciência foi parar.
E para onde eu estou indo
enquanto desço a rua
com 1 garrafa de cerveja na mão.
Talvez eu esteja indo
para os confins dessa rua,
dessa cidade,
do mundo…
Ou eu esteja somente
me enfiando
cada vez mais
no buraco
da minha chata, vazia
e desobediente
existência,
que é fútil e banal
como a de todo mundo.
Sem novos sabores
ou amores,
sem pôr do sol
no fim da tarde.
Melancolia demasiada.
Sou cru e realista,
quando não estou apaixonado
é claro.
Sei que a nossa agonia diária
nem se compara
com o que se passa
nos jornais.
Morremos aos poucos
enquanto fingimos
e fingimos mais do que morremos.
Eu já estou pronto cara cair.
Eu já estou morto,
só basta o meu coração
parar
de
bater.


Deixe uma resposta


Desenvolvido pela Quanta Comunicação