Jean-Marie Farines & Outras (Orgs.) – Memórias Reveladas Da UFSC Durante A Ditadura Civil-Militar

Memórias Reveladas Da UFSC Durante A Ditadura Civil-Militar tem como objetivo apresentar os fatos levantados pela Comissão Memória e Verdade.

Jean-Marie Farines, Laura Tuyama & Marli Auras (Orgs.) – Memórias Reveladas Da UFSC Durante A Ditadura Civil-Militar

Na Universidade Federal de Santa Catarina, a Comissão Memória e Verdade (CMV/UFSC) foi criada pelo Conselho Universitário (CUn) em 16 de dezembro de 2014. No dia 14 de maio de 2018, a comissão entregou o seu Relatório Final à comunidade e, no dia 25 de setembro de 2018, ao Conselho Universitário, que o aprovou por unanimidade.

Os depoimentos e documentos consultados pela comissão confirmaram que vários estudantes, professores e servidores da UFSC foram vítimas de violações dos direitos humanos. Confirmou-se também que demissões, não contratações e perseguições internas políticas e às vezes pessoais foram comuns nesse período na universidade.

Apesar do clima de repressão e de medo que reinava em determinados momentos, existiu também uma forte resistência do movimento estudantil durante todo o período e, a partir do final dos anos 1970, do movimento docente local e nacional, comprometidos com a redemocratização da universidade e do país.

A herança desse passado autoritário ainda não foi superada no país nem na UFSC. Impedida a prestação de contas desse passado, ele permanece atravessando o presente e obstruindo o futuro. Arbítrio, truculência e violência continuam presentes na história recente da UFSC, a despeito da autonomia universitária garantida pela Constituição, em pelo menos duas oportunidades: no chamado Levante do Bosque, de 25 de março de 2014, e na Operação Ouvidos Moucos, de 14 de setembro de 2017.

Nessas duas oportunidades, a comunidade universitária ficou dividida sobre a necessidade de tais intervenções, cisão que se interrompeu brutalmente no dia 2 de outubro, após o choque do suicídio do reitor.

Nesse contexto, Memórias Reveladas Da UFSC Durante A Ditadura Civil-Militar tem como objetivo apresentar os fatos levantados pela Comissão Memória e Verdade (CMV/UFSC) nas fontes primárias encontradas dentro e fora da UFSC e nos depoimentos colhidos de professores, estudantes e servidores e consolidados no Relatório Final da comissão.


Deixe uma resposta

Jean-Marie Farines & Outras (Orgs.) – Memórias Reveladas Da UFSC Durante A Ditadura Civil-Militar

Memórias Reveladas Da UFSC Durante A Ditadura Civil-Militar tem como objetivo apresentar os fatos levantados pela Comissão Memória e Verdade.

Jean-Marie Farines, Laura Tuyama & Marli Auras (Orgs.) - Memórias Reveladas Da UFSC Durante A Ditadura Civil-Militar

Na Universidade Federal de Santa Catarina, a Comissão Memória e Verdade (CMV/UFSC) foi criada pelo Conselho Universitário (CUn) em 16 de dezembro de 2014. No dia 14 de maio de 2018, a comissão entregou o seu Relatório Final à comunidade e, no dia 25 de setembro de 2018, ao Conselho Universitário, que o aprovou por unanimidade.

Os depoimentos e documentos consultados pela comissão confirmaram que vários estudantes, professores e servidores da UFSC foram vítimas de violações dos direitos humanos. Confirmou-se também que demissões, não contratações e perseguições internas políticas e às vezes pessoais foram comuns nesse período na universidade.

Apesar do clima de repressão e de medo que reinava em determinados momentos, existiu também uma forte resistência do movimento estudantil durante todo o período e, a partir do final dos anos 1970, do movimento docente local e nacional, comprometidos com a redemocratização da universidade e do país.

A herança desse passado autoritário ainda não foi superada no país nem na UFSC. Impedida a prestação de contas desse passado, ele permanece atravessando o presente e obstruindo o futuro. Arbítrio, truculência e violência continuam presentes na história recente da UFSC, a despeito da autonomia universitária garantida pela Constituição, em pelo menos duas oportunidades: no chamado Levante do Bosque, de 25 de março de 2014, e na Operação Ouvidos Moucos, de 14 de setembro de 2017.

Nessas duas oportunidades, a comunidade universitária ficou dividida sobre a necessidade de tais intervenções, cisão que se interrompeu brutalmente no dia 2 de outubro, após o choque do suicídio do reitor.

Nesse contexto, Memórias Reveladas Da UFSC Durante A Ditadura Civil-Militar tem como objetivo apresentar os fatos levantados pela Comissão Memória e Verdade (CMV/UFSC) nas fontes primárias encontradas dentro e fora da UFSC e nos depoimentos colhidos de professores, estudantes e servidores e consolidados no Relatório Final da comissão.


Deixe uma resposta


Desenvolvido pela Quanta Comunicação