Jean-Jacques Moscovitz & Philippe Grancher – Para Que Serve Uma Análise?

Jean-Jacques Moscovitz & Philippe Grancher – Para Que Serve Uma Análise?

Falar sobre psicanálise para o grande público, com toda a simplicidade embora sem perda do rigor conceitual, é um desejo partilhado por muitos psicanalistas desde Freud, que também nesse domínio foi um mestre – suas numerosas conferências de introdução à psicanálise são, nesse sentido, exemplares.
Poucas vezes, contudo, o resultado de tal empreitada tem êxito, seja pela permanência de uma dose irredutível de hermetismo, correspondente à dificuldade de o analista operar a tradução da língua psicanalítica para o discurso corrente (não se deve esquecer que a psicanálise, como outros saberes, constitui uma verdadeira língua, falada pelos psicanalistas), seja pela redução do grau de complexidade inerente às descobertas psicanalíticas, as quais, à guisa de serem bem compreendidas, acabam sendo atingidas no que possuem de mais essencial. No primeiro caso, perde o público leitor a oportunidade de penetrar no universo discursivo freudiano, no segundo, os próprios analistas protestam ao verem na obra um desserviço à psicanálise.

Em Para Que Serve Uma Análise? Jean-Jacques Moscovitz, psicanalista de formação lacaniana, atende a essa dupla expectativa: clareza e profundidade são os principais elementos desses diálogos travados com Philippe Grancher, ao longo dos quais emerge a riqueza da prática do psicanalista com suas certezas e inquietações no trabalho de escuta. Neles, o leitor leigo poderá elucidar problemas que hoje já fazem parte do cotidiano, assim como o psicanalista poderá depreender a solidez das concepções por detrás do coloquialismo das respostas.

Apresentados em partes, os temas debatidos em Para Que Serve Uma Análise?, vão dos mais corriqueiros – como a infância, a adolescência, o casamento e a sexualidade – até os mais especializados – como o inconsciente, a transferência, a fantasia e as estruturas clínicas. Em ambos os casos, advém sempre uma palavra esclarecedora que coloca a experiência da análise a serviço das indagações humanas mais pungentes.

Jean-Jacques Moscovitz nasceu em 1939. Médico, neuropsiquiatra, psicanalista formado no Instituto de Psicanálise de Paris, membro da ex-Escola Freudiana de Paris fundada por Jacques Lacan, exerce sua atividade de psicanalista desde 1968, tendo sempre participado de vários colóquios. Fundou, com outros analistas, em outubro de 1986, a associação Psychanalyse Actuelle, cujo objetivo é a formação de psicanalistas e a transmissão da psicanálise.
Tem vários artigos publicados em revistas especializadas e em obras coletivas. Além de Para Que Serve Uma Análise?, é também autor de D’Où Viennent Les Parents.


Deixe uma resposta

Jean-Jacques Moscovitz & Philippe Grancher – Para Que Serve Uma Análise?

Jean-Jacques Moscovitz & Philippe Grancher - Para Que Serve Uma Análise?

Falar sobre psicanálise para o grande público, com toda a simplicidade embora sem perda do rigor conceitual, é um desejo partilhado por muitos psicanalistas desde Freud, que também nesse domínio foi um mestre - suas numerosas conferências de introdução à psicanálise são, nesse sentido, exemplares.


Poucas vezes, contudo, o resultado de tal empreitada tem êxito, seja pela permanência de uma dose irredutível de hermetismo, correspondente à dificuldade de o analista operar a tradução da língua psicanalítica para o discurso corrente (não se deve esquecer que a psicanálise, como outros saberes, constitui uma verdadeira língua, falada pelos psicanalistas), seja pela redução do grau de complexidade inerente às descobertas psicanalíticas, as quais, à guisa de serem bem compreendidas, acabam sendo atingidas no que possuem de mais essencial. No primeiro caso, perde o público leitor a oportunidade de penetrar no universo discursivo freudiano, no segundo, os próprios analistas protestam ao verem na obra um desserviço à psicanálise.

Em Para Que Serve Uma Análise? Jean-Jacques Moscovitz, psicanalista de formação lacaniana, atende a essa dupla expectativa: clareza e profundidade são os principais elementos desses diálogos travados com Philippe Grancher, ao longo dos quais emerge a riqueza da prática do psicanalista com suas certezas e inquietações no trabalho de escuta. Neles, o leitor leigo poderá elucidar problemas que hoje já fazem parte do cotidiano, assim como o psicanalista poderá depreender a solidez das concepções por detrás do coloquialismo das respostas.

Apresentados em partes, os temas debatidos em Para Que Serve Uma Análise?, vão dos mais corriqueiros - como a infância, a adolescência, o casamento e a sexualidade - até os mais especializados - como o inconsciente, a transferência, a fantasia e as estruturas clínicas. Em ambos os casos, advém sempre uma palavra esclarecedora que coloca a experiência da análise a serviço das indagações humanas mais pungentes.

Jean-Jacques Moscovitz nasceu em 1939. Médico, neuropsiquiatra, psicanalista formado no Instituto de Psicanálise de Paris, membro da ex-Escola Freudiana de Paris fundada por Jacques Lacan, exerce sua atividade de psicanalista desde 1968, tendo sempre participado de vários colóquios. Fundou, com outros analistas, em outubro de 1986, a associação Psychanalyse Actuelle, cujo objetivo é a formação de psicanalistas e a transmissão da psicanálise.
Tem vários artigos publicados em revistas especializadas e em obras coletivas. Além de Para Que Serve Uma Análise?, é também autor de D'Où Viennent Les Parents.


Deixe uma resposta


Desenvolvido pela Quanta Comunicação