Ivanalda Dantas Nóbrega Di Lorenzo & Outras (Orgs.) – Leituras De Mundo(s) No Ensino De Geografia

Leituras De Mundo(s) No Ensino De Geografia aborda experiências concebidas através das relações de trabalho socializadas nas escolas.

Ivanalda Dantas Nóbrega Di Lorenzo, Cícera Cecília Esmeraldo Alves & Patrícia Brito Souza Da Nóbrega (Orgs.) – Leituras De Mundo(s) No Ensino De Geografia: Experiências E Práticas Formativas No Ensino Superior

Este livro é a materialização de um processo iniciado por ocasião do ingresso de seus autores no convívio acadêmico. Traz, em sua essência, relatos das diversas vivências motivadas pelos projetos que as impulsionaram como as atividades de trabalhos de conclusão de curso – TCC, dos estágios supervisionados e práticas de ensino, assim como do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência – PIBID e do Programa Residência Pedagógica de Geografia, a partir do Centro de Formação de Professores – CFP, da Universidade Federal de Campina Grande – UFCG, em Cajazeiras-PB.

Fazendo uso dos títulos das pesquisas produzidas, aqui neste livro apresentados, estes desde já nos permitem um aprendizado que somente quem os vivenciou pode ensinar; abordam experiências concebidas através das relações de trabalho socializadas nas escolas, no campo, na universidade, nos palcos das atividades humanas, produtos e produções da interação social.

Enquanto política de formação, os diálogos e os saberes aqui registrados contribuem para a formação do discente quando se exige que a escola seja seu olhar mais profundo, almejando o aprendizado dos alunos em seu exercício maior de docência.

ressignificação dessa relação, através do PIBID, proporciona um convívio com a escola cujo aprendizado se reforça com a associação da academia na efetividade de sua práxis: quando transpassa os muros da universidade, todo conhecimento tem a oportunidade de se expandir. E o conhecimento pedagógico no ensino da Geografia se fortalece a cada nova experiência.

A formação de professor é também a formação de um pesquisador, pois aguça o interesse pelo saber, pelo descobrir, pelo dividir e pelo ensinar. E este ensinar permite aprender; e o ciclo se renova a cada sala de aula; e a cada ensino, um novo saber. O saber do professor, que impulsiona o pesquisador a descortinar novos saberes, se revitaliza na culturalidade descoberta, adiciona novas verdades adentrando outras dimensões, cujas vivências transportam para novos mundos.

O palco do saber poder ser representado pelas itinerâncias que permeiam a formação do ensino, nas suas variadas temporalidades, evitando o desperdício e registrando a aprendizagem. Socializar os saberes, respeitando as linguagens da compreensão, é uma forma de perpetuar descobertas e permitir novos avanços.

Dialogar com a ciência é também ouvir os que não podem falar quando clamam por direitos em respeitos aos deveres, seja pela educação, pela saúde, pelos transportes, pela alimentação, pela habitação, etc. Dialogar com a ciência é cuidar, indiferentemente, do campo ou da cidade; é cuidar do outro.

Clique para
Baixar o PDF

Deixe uma resposta

Ivanalda Dantas Nóbrega Di Lorenzo & Outras (Orgs.) – Leituras De Mundo(s) No Ensino De Geografia

Leituras De Mundo(s) No Ensino De Geografia aborda experiências concebidas através das relações de trabalho socializadas nas escolas.

Ivanalda Dantas Nóbrega Di Lorenzo, Cícera Cecília Esmeraldo Alves & Patrícia Brito Souza Da Nóbrega (Orgs.) - Leituras De Mundo(s) No Ensino De Geografia: Experiências E Práticas Formativas No Ensino Superior

Este livro é a materialização de um processo iniciado por ocasião do ingresso de seus autores no convívio acadêmico. Traz, em sua essência, relatos das diversas vivências motivadas pelos projetos que as impulsionaram como as atividades de trabalhos de conclusão de curso – TCC, dos estágios supervisionados e práticas de ensino, assim como do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência – PIBID e do Programa Residência Pedagógica de Geografia, a partir do Centro de Formação de Professores – CFP, da Universidade Federal de Campina Grande – UFCG, em Cajazeiras-PB.

Fazendo uso dos títulos das pesquisas produzidas, aqui neste livro apresentados, estes desde já nos permitem um aprendizado que somente quem os vivenciou pode ensinar; abordam experiências concebidas através das relações de trabalho socializadas nas escolas, no campo, na universidade, nos palcos das atividades humanas, produtos e produções da interação social.

Enquanto política de formação, os diálogos e os saberes aqui registrados contribuem para a formação do discente quando se exige que a escola seja seu olhar mais profundo, almejando o aprendizado dos alunos em seu exercício maior de docência.

ressignificação dessa relação, através do PIBID, proporciona um convívio com a escola cujo aprendizado se reforça com a associação da academia na efetividade de sua práxis: quando transpassa os muros da universidade, todo conhecimento tem a oportunidade de se expandir. E o conhecimento pedagógico no ensino da Geografia se fortalece a cada nova experiência.

A formação de professor é também a formação de um pesquisador, pois aguça o interesse pelo saber, pelo descobrir, pelo dividir e pelo ensinar. E este ensinar permite aprender; e o ciclo se renova a cada sala de aula; e a cada ensino, um novo saber. O saber do professor, que impulsiona o pesquisador a descortinar novos saberes, se revitaliza na culturalidade descoberta, adiciona novas verdades adentrando outras dimensões, cujas vivências transportam para novos mundos.

O palco do saber poder ser representado pelas itinerâncias que permeiam a formação do ensino, nas suas variadas temporalidades, evitando o desperdício e registrando a aprendizagem. Socializar os saberes, respeitando as linguagens da compreensão, é uma forma de perpetuar descobertas e permitir novos avanços.

Dialogar com a ciência é também ouvir os que não podem falar quando clamam por direitos em respeitos aos deveres, seja pela educação, pela saúde, pelos transportes, pela alimentação, pela habitação, etc. Dialogar com a ciência é cuidar, indiferentemente, do campo ou da cidade; é cuidar do outro.

Clique para
Baixar o PDF

Deixe uma resposta


Desenvolvido pela Quanta Comunicação