Iray Carone – A Psicologia Tem Paradigmas?

No que se refere à proposta de seu livro A Psicologia tem paradigmas?, Iray Carone vem estudando essa questão há muitos anos. Fez pesquisa sobre a bibliografia psicológica nacional e internacional dos anos 60 em diante,verificando como tem sido tratado o conceito de paradigma por uma série de autores da Psicologia.Ressalte-se que procurou conhecer os trabalhos que mencionavam Thomas Kuhn ao se referirem a paradigmas na Psicologia.
Ao mesmo tempo, foi tentando verificar os vários sentidos que historicamente foram atribuídos à palavra “paradigma”, que apareceu primeiramente na obra de Platão como um dos recursos de sua dialética no movimento ascendente ao conceito ou à essência de uma coisa. Assim, por exemplo, ele usava uma série de imagens correntes de seu tempo para explicitar o conceito de “sofista” ou de “político”, ou de “alma”, etc. Por exemplo, a imagem de um piloto de navio era por ele considerada uma imagem paradigmática que permitiria entender a função do político na condução da sociedade ou polis: ele era um condutor muito semelhante ao piloto que a todo momento corrige a rota da viagem, de acordo com a contingência inesperada de ventos, tempestades, calmarias, correntes marítimas, etc. Um político trabalha com as várias contingências sociais e deve ter a sabedoria de um piloto para não permitir que crises e calamidades ocorram e ponham em risco a segurança e a paz na cidade.A imagem do piloto serviu nesse caso como um paradigma para ascender à idéia de político como condutor dos negócios públicos.


Deixe uma resposta

Iray Carone – A Psicologia Tem Paradigmas?

No que se refere à proposta de seu livro A Psicologia tem paradigmas?, Iray Carone vem estudando essa questão há muitos anos. Fez pesquisa sobre a bibliografia psicológica nacional e internacional dos anos 60 em diante,verificando como tem sido tratado o conceito de paradigma por uma série de autores da Psicologia.Ressalte-se que procurou conhecer os trabalhos que mencionavam Thomas Kuhn ao se referirem a paradigmas na Psicologia.
Ao mesmo tempo, foi tentando verificar os vários sentidos que historicamente foram atribuídos à palavra "paradigma", que apareceu primeiramente na obra de Platão como um dos recursos de sua dialética no movimento ascendente ao conceito ou à essência de uma coisa. Assim, por exemplo, ele usava uma série de imagens correntes de seu tempo para explicitar o conceito de "sofista" ou de "político", ou de "alma", etc. Por exemplo, a imagem de um piloto de navio era por ele considerada uma imagem paradigmática que permitiria entender a função do político na condução da sociedade ou polis: ele era um condutor muito semelhante ao piloto que a todo momento corrige a rota da viagem, de acordo com a contingência inesperada de ventos, tempestades, calmarias, correntes marítimas, etc. Um político trabalha com as várias contingências sociais e deve ter a sabedoria de um piloto para não permitir que crises e calamidades ocorram e ponham em risco a segurança e a paz na cidade.A imagem do piloto serviu nesse caso como um paradigma para ascender à idéia de político como condutor dos negócios públicos.


Deixe uma resposta


Desenvolvido pela Quanta Comunicação