Gisele Carignani (Org.) – Leituras Urbanas

Leituras Urbanas agrega visões sobre o processo de urbanização ocorrido em Mato Grosso, visto por diferentes prismas

Gisele Carignani (Org.) – Leituras Urbanas: Experiências De Urbanizações Em Mato Grosso

Leituras Urbanas: Experiências De Urbanizações Em Mato Grosso reúne, em 9 capítulos, os resultados de teses de doutoramento, defendidas no Curso de Doutorado Interinstitucional – DINTER, realizado entre 2011 e 2015, envolvendo a Universidade Federal de Mato Grosso – UFMT, a Universidade do Estado de Mato Grosso – UNEMAT e o Programa de Urbanismo – PROURB – da Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ.

Ao reunir diferentes trabalhos em torno do eixo temático “Urbanismo”, Leituras Urbanas agrega visões sobre o processo de urbanização ocorrido em Mato Grosso, visto por diferentes prismas, envolvendo as facetas de formação das primeiras cidades mato-grossenses, o papel do fator fundiário no povoamento e formação urbana, as políticas de estímulo ocupacional e expansão urbana da segunda metade do século XX, a precariedade dos assentamentos urbanos, as questões climáticas ambientais e o confronto entre o rural e o urbano nas aldeias indígenas do século XX.

O trabalho coletivo, aqui apresentado, oriundo do desenvolvimento de pesquisa e análises acadêmicas, envolve posições individuais, compartilhadas e, sobretudo, complementares, que permitem ao leitor traçar um quadro analítico da marcha ocupacional mato-grossense e reconhecer o impacto das diferentes experiências locais de urbanização no processo de desenvolvimento do estado. Esses estudos permitem, também, embasar novas pesquisas sobre a temática.

A escolha do tema da urbanização não poderia ser mais apropriada. O primeiro passo para a (re)construção de uma sociedade é a compreensão de suas origens e culturas. Mato Grosso tinha 38 municípios em 1978, ano da divisão do estado. Esses 38 municípios ocupavam os mais de 930 mil quilômetros quadrados do seu território. Atualmente, o estado de Mato Grosso tem 141 municípios. Isto é, em 40 anos, surgiram mais de cem municípios.

Entender o povoamento deste estado, a ocupação de seu território é essencial para o pensamento de políticas públicas. As trajetórias de ocupação, a formação étnica, a atuação do Estado e da iniciativa privada nesse boom urbanístico geram uma cultura miscigenada e diversa.

Aqui, cabe enfatizar que essa cultura está em formação, não está pronta. A síntese cultural não acontece de imediato, ela é formada, ao longo dos anos, de “encontros e desencontros”. Os conflitos fundiários, as ocupações irregulares, a especulação imobiliária, os sonhos e as esperanças se fazem presentes no estado em construção.


Deixe uma resposta

Gisele Carignani (Org.) – Leituras Urbanas

Leituras Urbanas agrega visões sobre o processo de urbanização ocorrido em Mato Grosso, visto por diferentes prismas

Gisele Carignani (Org.) - Leituras Urbanas: Experiências De Urbanizações Em Mato Grosso

Leituras Urbanas: Experiências De Urbanizações Em Mato Grosso reúne, em 9 capítulos, os resultados de teses de doutoramento, defendidas no Curso de Doutorado Interinstitucional – DINTER, realizado entre 2011 e 2015, envolvendo a Universidade Federal de Mato Grosso - UFMT, a Universidade do Estado de Mato Grosso - UNEMAT e o Programa de Urbanismo – PROURB – da Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ.

Ao reunir diferentes trabalhos em torno do eixo temático “Urbanismo”, Leituras Urbanas agrega visões sobre o processo de urbanização ocorrido em Mato Grosso, visto por diferentes prismas, envolvendo as facetas de formação das primeiras cidades mato-grossenses, o papel do fator fundiário no povoamento e formação urbana, as políticas de estímulo ocupacional e expansão urbana da segunda metade do século XX, a precariedade dos assentamentos urbanos, as questões climáticas ambientais e o confronto entre o rural e o urbano nas aldeias indígenas do século XX.

O trabalho coletivo, aqui apresentado, oriundo do desenvolvimento de pesquisa e análises acadêmicas, envolve posições individuais, compartilhadas e, sobretudo, complementares, que permitem ao leitor traçar um quadro analítico da marcha ocupacional mato-grossense e reconhecer o impacto das diferentes experiências locais de urbanização no processo de desenvolvimento do estado. Esses estudos permitem, também, embasar novas pesquisas sobre a temática.

A escolha do tema da urbanização não poderia ser mais apropriada. O primeiro passo para a (re)construção de uma sociedade é a compreensão de suas origens e culturas. Mato Grosso tinha 38 municípios em 1978, ano da divisão do estado. Esses 38 municípios ocupavam os mais de 930 mil quilômetros quadrados do seu território. Atualmente, o estado de Mato Grosso tem 141 municípios. Isto é, em 40 anos, surgiram mais de cem municípios.

Entender o povoamento deste estado, a ocupação de seu território é essencial para o pensamento de políticas públicas. As trajetórias de ocupação, a formação étnica, a atuação do Estado e da iniciativa privada nesse boom urbanístico geram uma cultura miscigenada e diversa.

Aqui, cabe enfatizar que essa cultura está em formação, não está pronta. A síntese cultural não acontece de imediato, ela é formada, ao longo dos anos, de “encontros e desencontros”. Os conflitos fundiários, as ocupações irregulares, a especulação imobiliária, os sonhos e as esperanças se fazem presentes no estado em construção.


Deixe uma resposta


Desenvolvido pela Quanta Comunicação