Geordie Grieg – Café Com Lucian Freud

Lucian Freud e o mais famoso pintor inglês do século XX e seus retratos realistas e perturbadores são instantaneamente reconhecidos. Em uma biografia desconcertante, o leitor tem acesso pela primeira vez aos detalhes da peculiar vida de um dos maiores artistas de nosso tempo. Lucian proibiu a publicação de duas biografias autorizadas, mas permitiu que Geordie Greig, jornalista inglês, editor do Mail on Sunday o encontrasse durante os últimos dez anos de sua vida no lendário Clarkes, restaurante de Notting Hill, onde Lucian recebia os amigos e fazia quase todas as refeições. Aos poucos, eles desenvolveram uma forte amizade; Greig publicou algumas reportagens sobre Lucian em jornais e revistas e, após a morte do pintor, em 2011, começou a organizar o material gravado para escrever este livro. Greig proporciona um relato preciso e revelador de um artista que viveu sob suas próprias regras: nunca se rendeu a modismos estéticos, teve pelo menos 14 filhos, dois casamentos, inúmeras mulheres, sofreu com dividas de jogo e era extremamente cético quanto a psicanálise. Além da profunda convivência, o autor entrevistou amigos, amantes e ate alguns filhos de Freud, que nunca haviam falado publicamente sobre a relação com o pintor. A combinação de todas essas informações faz de Café com Lucian Freud um livro extremamente interessante, não apenas por seu caráter intimista, mas por retratar a personalidade genial que deixou como legado uma obra única e eterna, em tempos de imponderável renovação.


Deixe uma resposta

Geordie Grieg – Café Com Lucian Freud

Lucian Freud e o mais famoso pintor inglês do século XX e seus retratos realistas e perturbadores são instantaneamente reconhecidos. Em uma biografia desconcertante, o leitor tem acesso pela primeira vez aos detalhes da peculiar vida de um dos maiores artistas de nosso tempo. Lucian proibiu a publicação de duas biografias autorizadas, mas permitiu que Geordie Greig, jornalista inglês, editor do Mail on Sunday o encontrasse durante os últimos dez anos de sua vida no lendário Clarkes, restaurante de Notting Hill, onde Lucian recebia os amigos e fazia quase todas as refeições. Aos poucos, eles desenvolveram uma forte amizade; Greig publicou algumas reportagens sobre Lucian em jornais e revistas e, após a morte do pintor, em 2011, começou a organizar o material gravado para escrever este livro. Greig proporciona um relato preciso e revelador de um artista que viveu sob suas próprias regras: nunca se rendeu a modismos estéticos, teve pelo menos 14 filhos, dois casamentos, inúmeras mulheres, sofreu com dividas de jogo e era extremamente cético quanto a psicanálise. Além da profunda convivência, o autor entrevistou amigos, amantes e ate alguns filhos de Freud, que nunca haviam falado publicamente sobre a relação com o pintor. A combinação de todas essas informações faz de Café com Lucian Freud um livro extremamente interessante, não apenas por seu caráter intimista, mas por retratar a personalidade genial que deixou como legado uma obra única e eterna, em tempos de imponderável renovação.


Deixe uma resposta


Desenvolvido pela Quanta Comunicação