Evson Malaquias De Moraes Santos & Outros – Cajá Está Sendo Torturado E Você Vai À Aula?

Cajá Está Sendo Torturado E Você Vai À Aula? se vincula ao gênero da historiografia da repressão política e das resistências democráticas.

Evson Malaquias De Moraes Santos, Neide Carolina Andrade Piornedo & Vinicius Borges De Medeiros – Cajá Está Sendo Torturado E Você Vai À Aula?

Evson como docente, militante e pesquisador vem construindo uma obra notável sobre as sobrevivências autoritárias do golpe civil-militar de 1964 na Universidade Federal de Pernambuco, o que tem lhe custado dissabores.

O presente livro Cajá Está Sendo Torturado E Você Vai À Aula?, preparado com uma equipe de pesquisadores (Neide Carolina Andrade Piormedo e Vinicius Borges de Medeiros), é um desdobramento de sua profícua labuta de pesquisador e historiador da UFPE nos últimos 50 anos.

Este trabalho de Evson se distingue das reconstituições jornalísticas ou meramente descritivas porque ele apresenta os pressupostos teórico-metodológicos de sua escrita. Assim, não é um mero trabalho memorialístico ou apologético ou panfletário.

Trata-se de uma obra que se vincula ao gênero da historiografia da repressão política e das resistências democráticas dos jovens estudantes e seus aliados contra o arbítrio, a violência, o obscurantismo daqueles que cometeram crimes contra os direitos humanos e as liberdades democráticas.

Como trabalho que utiliza fartamente os arquivos da repressão (além da grande imprensa, arquivos particulares e entrevistas), naturalmente o autor tinha que se munir de uma metodologia crítica, desconstrutiva (análise do discurso de linha francesa) e que adotasse um desvio crítico em relação ao conteúdo dos atos discursivos e retóricos dos agentes históricos. E procurou fazê-lo.

Evson – há muito tempo – trabalha com a visão de imaginário de Cornelius Castoriadis, sobretudo com a dimensão instituinte do imaginário social, diferentemente da dimensão manipulatória e alienante de certas versões desse conceito. A ideia-chave que o imaginário cria não só engana ou oculta, mas é muito importante em sua análise ligada à subjetividade dos atores políticos.

Nesse ponto, a linguagem, os atos retóricos e discursivos são muito importantes. Daí a análise crítica dos discursos oficiais, policiais e militares, da imprensa, dos professores e dos militantes.

Clique para
Baixar o PDF

Deixe uma resposta

Evson Malaquias De Moraes Santos & Outros – Cajá Está Sendo Torturado E Você Vai À Aula?

Cajá Está Sendo Torturado E Você Vai À Aula? se vincula ao gênero da historiografia da repressão política e das resistências democráticas.

Evson Malaquias De Moraes Santos, Neide Carolina Andrade Piornedo & Vinicius Borges De Medeiros - Cajá Está Sendo Torturado E Você Vai À Aula?

Evson como docente, militante e pesquisador vem construindo uma obra notável sobre as sobrevivências autoritárias do golpe civil-militar de 1964 na Universidade Federal de Pernambuco, o que tem lhe custado dissabores.

O presente livro Cajá Está Sendo Torturado E Você Vai À Aula?, preparado com uma equipe de pesquisadores (Neide Carolina Andrade Piormedo e Vinicius Borges de Medeiros), é um desdobramento de sua profícua labuta de pesquisador e historiador da UFPE nos últimos 50 anos.

Este trabalho de Evson se distingue das reconstituições jornalísticas ou meramente descritivas porque ele apresenta os pressupostos teórico-metodológicos de sua escrita. Assim, não é um mero trabalho memorialístico ou apologético ou panfletário.

Trata-se de uma obra que se vincula ao gênero da historiografia da repressão política e das resistências democráticas dos jovens estudantes e seus aliados contra o arbítrio, a violência, o obscurantismo daqueles que cometeram crimes contra os direitos humanos e as liberdades democráticas.

Como trabalho que utiliza fartamente os arquivos da repressão (além da grande imprensa, arquivos particulares e entrevistas), naturalmente o autor tinha que se munir de uma metodologia crítica, desconstrutiva (análise do discurso de linha francesa) e que adotasse um desvio crítico em relação ao conteúdo dos atos discursivos e retóricos dos agentes históricos. E procurou fazê-lo.

Evson – há muito tempo – trabalha com a visão de imaginário de Cornelius Castoriadis, sobretudo com a dimensão instituinte do imaginário social, diferentemente da dimensão manipulatória e alienante de certas versões desse conceito. A ideia-chave que o imaginário cria não só engana ou oculta, mas é muito importante em sua análise ligada à subjetividade dos atores políticos.

Nesse ponto, a linguagem, os atos retóricos e discursivos são muito importantes. Daí a análise crítica dos discursos oficiais, policiais e militares, da imprensa, dos professores e dos militantes.

Clique para
Baixar o PDF

Deixe uma resposta


Desenvolvido pela Quanta Comunicação