Ernest Hemingway – Do Outro Lado Do Rio, Entre As Árvores

Ernest Hemingway – Do Outro Lado Do Rio, Entre As Árvores

Do Outro Lado Do Rio, Entre As Árvores demonstra uma vez mais a precisão formal com que Ernest Hemingway escrevia: a linguagem direta, as pinceladas curtas, o todo descrito pela exatidão minuciosa do pormenor, as personagens reais, palpáveis quase.

Na época de seu lançamento, os críticos americanos e ingleses receberam com fortes reservas o novo livro do já então famoso Hemingway, embora ele próprio o considerasse uma dos melhores que já escrevera.

Em Do Outro Lado Do Rio, Entre As Árvores, o autor, pela primeira vez, explora de forma sentimental o amor, a morte e o choque com o mundo em que vive.

Como protagonista da história, tem-se o coronel Richard Cantwell, da Infantaria dos Estados Unidos, que aos cinquenta anos se vê dominado por um tédio existencial e regressa ao norte da Itália numa espécie de busca do tempo.

Depois dos bombardeios da Segunda Guerra Mundial, com famílias ainda chorando pelos mortos, e civis e militares caminhando rancorosos pelas ruas, os relatos de Cantwell impregnam-se de melancolia de quem viu como tudo aconteceu.

Hemingway coloca muito de si próprio na figura do coronel, nesse retorno simbólico à juventude e à paixão por uma linda mulher mais jovem. Contudo, a comunhão de fundo com diversas e curiosas aproximações possíveis entre o protagonista e o romancista não se prende às coincidências factuais, e sim a um sentimento de exaustão em relação às guerras.

Hemingway, nascido em 1899, em Oak Park, Illinois, EUA, regula em idade com seu personagem, que está completando 50 anos.

As paisagens da Itália haviam se tornado familiares a ambos sob circunstâncias similares: Cantwell combatera ali na Primeira e na Segunda Guerra; Hemingway lutou na Itália, na Primeira Guerra.

Ambos conheciam a dor de ser ferido em combate e se Cantwell faz um relato próprio, cheio de ironia, da Tomada de Paris pelas Forças Aliadas, em 44, Hemingway esteve lá, alistado no 22º. Regimento da 4ª. Divisão de Infantaria dos EUA. Finalmente, Cantwell evoca a Guerra Civil Espanhola, na qual Hemingway também lutou, contra Franco, como o coronel.


Deixe uma resposta

Ernest Hemingway – Do Outro Lado Do Rio, Entre As Árvores

Ernest Hemingway - Do Outro Lado Do Rio, Entre As Árvores

Do Outro Lado Do Rio, Entre As Árvores demonstra uma vez mais a precisão formal com que Ernest Hemingway escrevia: a linguagem direta, as pinceladas curtas, o todo descrito pela exatidão minuciosa do pormenor, as personagens reais, palpáveis quase.

Na época de seu lançamento, os críticos americanos e ingleses receberam com fortes reservas o novo livro do já então famoso Hemingway, embora ele próprio o considerasse uma dos melhores que já escrevera.

Em Do Outro Lado Do Rio, Entre As Árvores, o autor, pela primeira vez, explora de forma sentimental o amor, a morte e o choque com o mundo em que vive.

Como protagonista da história, tem-se o coronel Richard Cantwell, da Infantaria dos Estados Unidos, que aos cinquenta anos se vê dominado por um tédio existencial e regressa ao norte da Itália numa espécie de busca do tempo.

Depois dos bombardeios da Segunda Guerra Mundial, com famílias ainda chorando pelos mortos, e civis e militares caminhando rancorosos pelas ruas, os relatos de Cantwell impregnam-se de melancolia de quem viu como tudo aconteceu.

Hemingway coloca muito de si próprio na figura do coronel, nesse retorno simbólico à juventude e à paixão por uma linda mulher mais jovem. Contudo, a comunhão de fundo com diversas e curiosas aproximações possíveis entre o protagonista e o romancista não se prende às coincidências factuais, e sim a um sentimento de exaustão em relação às guerras.

Hemingway, nascido em 1899, em Oak Park, Illinois, EUA, regula em idade com seu personagem, que está completando 50 anos.

As paisagens da Itália haviam se tornado familiares a ambos sob circunstâncias similares: Cantwell combatera ali na Primeira e na Segunda Guerra; Hemingway lutou na Itália, na Primeira Guerra.

Ambos conheciam a dor de ser ferido em combate e se Cantwell faz um relato próprio, cheio de ironia, da Tomada de Paris pelas Forças Aliadas, em 44, Hemingway esteve lá, alistado no 22º. Regimento da 4ª. Divisão de Infantaria dos EUA. Finalmente, Cantwell evoca a Guerra Civil Espanhola, na qual Hemingway também lutou, contra Franco, como o coronel.


Deixe uma resposta