Erica Reviglio Iliovitz (Org.) – Sequências Didáticas De Gêneros Discursivos No Processo De Ensino E Aprendizagem Da Língua Portuguesa

A presente coletânea contém seis capítulos redigidos por licenciandas bolsistas do programa, por dois professores supervisores nas escolas e por mim, que atualmente ocupo a função de coordenadora do subprojeto Pibid da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) na área de Língua Portuguesa no município de Natal-RN. Os capítulos – que abordam uma reflexão teórico-prática e cinco gêneros discursivos distintos: memórias, fanzine, anúncio publicitário, reportagem e crônica – correspondem aos registros de ações do Pibid em duas escolas estaduais do referido município: a Escola Estadual Berilo Wanderley e a Escola Estadual José Fernandes Machado. Através das reflexões aqui sistematizadas, visamos incentivar o exercício da docência de modo crítico e consciente. Entretanto, convém destacar que não se trata de propor “fórmulas” nem “receitas para bem ensinar”; trata-se, na verdade, de mostrar relatos de experiências que possam inspirar e mobilizar ações na medida em que tais relatos comprovam a viabilidade de uma atividade docente coerente e coesa tanto em pressupostos teóricos quanto na vivência prática.


Deixe uma resposta

Erica Reviglio Iliovitz (Org.) – Sequências Didáticas De Gêneros Discursivos No Processo De Ensino E Aprendizagem Da Língua Portuguesa

A presente coletânea contém seis capítulos redigidos por licenciandas bolsistas do programa, por dois professores supervisores nas escolas e por mim, que atualmente ocupo a função de coordenadora do subprojeto Pibid da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) na área de Língua Portuguesa no município de Natal-RN. Os capítulos – que abordam uma reflexão teórico-prática e cinco gêneros discursivos distintos: memórias, fanzine, anúncio publicitário, reportagem e crônica – correspondem aos registros de ações do Pibid em duas escolas estaduais do referido município: a Escola Estadual Berilo Wanderley e a Escola Estadual José Fernandes Machado. Através das reflexões aqui sistematizadas, visamos incentivar o exercício da docência de modo crítico e consciente. Entretanto, convém destacar que não se trata de propor “fórmulas” nem “receitas para bem ensinar”; trata-se, na verdade, de mostrar relatos de experiências que possam inspirar e mobilizar ações na medida em que tais relatos comprovam a viabilidade de uma atividade docente coerente e coesa tanto em pressupostos teóricos quanto na vivência prática.


Deixe uma resposta


Desenvolvido pela Quanta Comunicação