Eliseu Savério Sposito – O Novo Mapa Da Indústria No Início Do Século XXI

Este livro é resultado de um trabalho de cinco anos. Os autores, integrantes de um grupo de pesquisa que se dedicou a fazer uma leitura temática da dinâmica industrial do estado de São Paulo, fizeram suas pesquisas com independência metodológica e teórica. Sempre houve, no entanto, um objetivo comum: tentar desvendar como, por intermédio de várias temáticas, a indústria se apresenta no início do século XXI. Procuramos trabalhar com dois blocos principais. O primeiro trata dos processos e das formas. Neste caso, tivemos abordagens que versam sobre o papel da tecnologia, da reestruturação produtiva, dos condomínios de empresas, o Valor Adicionado Fiscal, considerando processos que regulam a implantação e a disseminação da indústria, como ramos de atividade, com destaque para os de alimentos e de calçados. Do ponto de vista da rede urbana, os arranjos produtivos locais se articulam com a hierarquia urbana, com ênfase também para as cidades pequenas. No segundo bloco da obra, que focaliza os processos e os fluxos, a circulação e os transportes estruturam a formação dos eixos de desenvolvimento. Foram abordados os investimentos na indústria, os transportes aéreos, rodoviários e hidroviários. No final de cada bloco há um texto que registra diferentes procedimentos metodológicos utilizados para a leitura da dinâmica industrial e suas manifestações territoriais no estado de São Paulo.
Este livro é resultado de um trabalho coletivo. Reunindo pesquisadores de duas universidades de São Paulo (USP e Unesp), do IBGE, da UFPR e vários doutorandos e mestrandos, inúmeros encontros foram realizados para a discussão dos procedimentos metodológicos que seriam empregados. Houve também vários trabalhos de campo para as áreas com significado industrial marcante; percursos por terra para a verificação dos fluxos rodoviários e aquaviários; entrevistas com agentes bem informados que contribuíram para o enriquecimento da análise da informação geográfica. Além dos pesquisadores, como o grupo era composto por doutorandos e mestrandos, diversas teses e dissertações foram defendidas como contribuição indireta para a leitura do estado paulista. Algumas delas têm seus resultados incorporados nesta publicação.


Deixe uma resposta

Eliseu Savério Sposito – O Novo Mapa Da Indústria No Início Do Século XXI

Este livro é resultado de um trabalho de cinco anos. Os autores, integrantes de um grupo de pesquisa que se dedicou a fazer uma leitura temática da dinâmica industrial do estado de São Paulo, fizeram suas pesquisas com independência metodológica e teórica.

Sempre houve, no entanto, um objetivo comum: tentar desvendar como, por intermédio de várias temáticas, a indústria se apresenta no início do século XXI. Procuramos trabalhar com dois blocos principais. O primeiro trata dos processos e das formas. Neste caso, tivemos abordagens que versam sobre o papel da tecnologia, da reestruturação produtiva, dos condomínios de empresas, o Valor Adicionado Fiscal, considerando processos que regulam a implantação e a disseminação da indústria, como ramos de atividade, com destaque para os de alimentos e de calçados. Do ponto de vista da rede urbana, os arranjos produtivos locais se articulam com a hierarquia urbana, com ênfase também para as cidades pequenas. No segundo bloco da obra, que focaliza os processos e os fluxos, a circulação e os transportes estruturam a formação dos eixos de desenvolvimento. Foram abordados os investimentos na indústria, os transportes aéreos, rodoviários e hidroviários. No final de cada bloco há um texto que registra diferentes procedimentos metodológicos utilizados para a leitura da dinâmica industrial e suas manifestações territoriais no estado de São Paulo.
Este livro é resultado de um trabalho coletivo. Reunindo pesquisadores de duas universidades de São Paulo (USP e Unesp), do IBGE, da UFPR e vários doutorandos e mestrandos, inúmeros encontros foram realizados para a discussão dos procedimentos metodológicos que seriam empregados. Houve também vários trabalhos de campo para as áreas com significado industrial marcante; percursos por terra para a verificação dos fluxos rodoviários e aquaviários; entrevistas com agentes bem informados que contribuíram para o enriquecimento da análise da informação geográfica. Além dos pesquisadores, como o grupo era composto por doutorandos e mestrandos, diversas teses e dissertações foram defendidas como contribuição indireta para a leitura do estado paulista. Algumas delas têm seus resultados incorporados nesta publicação.


Deixe uma resposta


Desenvolvido pela Quanta Comunicação