Benedito Silva Neto – A Internalização Dos Custos Da Transição Agroecológica Em Sistemas Agrários

Este livro apresenta um método para a internalização dos custos da transição agroecológica (ICTA) desenvolvido em termos de sistemas agrários.

Benedito Silva Neto – A Internalização Dos Custos Da Transição Agroecológica Em Sistemas Agrários

Como analisar objetivamente o estabelecimento, em nível regional, de uma transição da agricultura atual, caracterizada pelos seus efeitos altamente negativos sobre o ambiente e a saúde humana, para uma agricultura ecologicamente sustentável? A partir de quais bases técnicas a análise dessa transição agroecológica pode ser realizada? E como integrar nessa análise os mecanismos que poderiam assegurar a viabilidade econômica da adoção dessas técnicas pelos agricultores?

Estas são algumas das questões centrais tratadas neste livro. Nele apresentamos um método para a internalização dos custos da transição agroecológica (ICTA) desenvolvido de acordo com a abordagem da agricultura em termos de sistemas agrários. Neste sentido, propomos a integração da ICTA à Análise-diagnóstico de Sistemas Agrários, método empregado nessa abordagem para o estudo de dinâmicas locais de desenvolvimento da agricultura.

​As propostas de uma transição agroecológica têm sido largamente dominadas por enfoques de caráter iminentemente microeconômico. Essas propostas têm como pressuposto de que, no momento em que se desencadear um processo de transição ao nível das unidades de produção, a questão se torna apenas de como aumentar a sua escala (o “scaling up”2).

A agricultura é, porém, antes de tudo uma atividade realizada em e para uma sociedade. Neste sentido, as suas características são determinadas no interior de um processo histórico, com toda a complexidade que esta natureza histórica implica. A transição agroecológica não pode, portanto, ser concebida como uma simples somatória de transições em unidades de produção.

Para que o caráter histórico-social da agricultura e, portanto, o da transição agroecológica, possa ser devidamente considerado, é necessário que sejam analisadas as condições estruturais que dão suporte ao padrão tecnológico atualmente dominante. Um dos objetivos da abordagem da agricultura em termos de sistemas agrários é responder a esta necessidade.

Elaborada no quadro de uma teoria da evolução histórica e diferenciação da agricultura em nível mundial, a abordagem da agricultura em termos de sistemas agrários tem sido empregada para analisar as mais diversas situações agrárias ao redor do mundo. Atualmente, as análises da agricultura em nível local no âmbito dessa abordagem são realizadas por meio do método de “Análise-diagnóstico de Sistemas Agrários” (ADSA).


Deixe uma resposta

Benedito Silva Neto – A Internalização Dos Custos Da Transição Agroecológica Em Sistemas Agrários

Este livro apresenta um método para a internalização dos custos da transição agroecológica (ICTA) desenvolvido em termos de sistemas agrários.

Benedito Silva Neto - A Internalização Dos Custos Da Transição Agroecológica Em Sistemas Agrários

Como analisar objetivamente o estabelecimento, em nível regional, de uma transição da agricultura atual, caracterizada pelos seus efeitos altamente negativos sobre o ambiente e a saúde humana, para uma agricultura ecologicamente sustentável? A partir de quais bases técnicas a análise dessa transição agroecológica pode ser realizada? E como integrar nessa análise os mecanismos que poderiam assegurar a viabilidade econômica da adoção dessas técnicas pelos agricultores?

Estas são algumas das questões centrais tratadas neste livro. Nele apresentamos um método para a internalização dos custos da transição agroecológica (ICTA) desenvolvido de acordo com a abordagem da agricultura em termos de sistemas agrários. Neste sentido, propomos a integração da ICTA à Análise-diagnóstico de Sistemas Agrários, método empregado nessa abordagem para o estudo de dinâmicas locais de desenvolvimento da agricultura.

​As propostas de uma transição agroecológica têm sido largamente dominadas por enfoques de caráter iminentemente microeconômico. Essas propostas têm como pressuposto de que, no momento em que se desencadear um processo de transição ao nível das unidades de produção, a questão se torna apenas de como aumentar a sua escala (o “scaling up”2).

A agricultura é, porém, antes de tudo uma atividade realizada em e para uma sociedade. Neste sentido, as suas características são determinadas no interior de um processo histórico, com toda a complexidade que esta natureza histórica implica. A transição agroecológica não pode, portanto, ser concebida como uma simples somatória de transições em unidades de produção.

Para que o caráter histórico-social da agricultura e, portanto, o da transição agroecológica, possa ser devidamente considerado, é necessário que sejam analisadas as condições estruturais que dão suporte ao padrão tecnológico atualmente dominante. Um dos objetivos da abordagem da agricultura em termos de sistemas agrários é responder a esta necessidade.

Elaborada no quadro de uma teoria da evolução histórica e diferenciação da agricultura em nível mundial, a abordagem da agricultura em termos de sistemas agrários tem sido empregada para analisar as mais diversas situações agrárias ao redor do mundo. Atualmente, as análises da agricultura em nível local no âmbito dessa abordagem são realizadas por meio do método de “Análise-diagnóstico de Sistemas Agrários” (ADSA).


Deixe uma resposta


Desenvolvido pela Quanta Comunicação