Bárbara Cortella Pereira De Oliveira – Theodoro De Moraes Na História Da Alfabetização No Brasil

Esta obra discute a contribuição do educador paulista Theodoro de Moraes (1877-1956) para a disseminação da assim denominada “pedagogia moderna” no Brasil, tanto por meio de sua atuação em cargos e funções no magistério como de sua produção ensaística e pedagógica, extremamente prolífera. Além de participar da produção de documentos oficiais, Moraes elaborou artigos para periódicos, textos de literatura infantil, livros, cartilhas e ainda foi tradutor e conferencista.
O educador, de acordo com a autora, defendia com ênfase o ensino da leitura para crianças e para adolescentes e adultos, pelo chamado método analítico, um componente essencial da pedagogia moderna e que se destaca pela busca da praticidade e o uso da intuição. Por este método, o ensino deve ser gradual, completo e contínuo, de modo a favorecer a atividade individual do aluno.
O processo de ensino seguiria, dessa forma, “do mais simples para o mais complicado” e avançaria “passo a passo”. O educador prescrevia ainda prática e exercícios constantes e o uso comedido das regras durante o transcorrer das atividades didáticas. Muito graças a Moraes, o método analítico para o ensino inicial da leitura – que se tornara oficial para as escolas primárias do estado de São Paulo entre o fim do século 19 e o início do século 20 – teve um inegável revigoramento e deixaria marcas indeléveis na educação do país.

O site pede cadastro. É fácil, rápido e vale a pena.


Deixe uma resposta

Bárbara Cortella Pereira De Oliveira – Theodoro De Moraes Na História Da Alfabetização No Brasil

Esta obra discute a contribuição do educador paulista Theodoro de Moraes (1877-1956) para a disseminação da assim denominada “pedagogia moderna” no Brasil, tanto por meio de sua atuação em cargos e funções no magistério como de sua produção ensaística e pedagógica, extremamente prolífera. Além de participar da produção de documentos oficiais, Moraes elaborou artigos para periódicos, textos de literatura infantil, livros, cartilhas e ainda foi tradutor e conferencista.
O educador, de acordo com a autora, defendia com ênfase o ensino da leitura para crianças e para adolescentes e adultos, pelo chamado método analítico, um componente essencial da pedagogia moderna e que se destaca pela busca da praticidade e o uso da intuição. Por este método, o ensino deve ser gradual, completo e contínuo, de modo a favorecer a atividade individual do aluno.
O processo de ensino seguiria, dessa forma, “do mais simples para o mais complicado” e avançaria “passo a passo”. O educador prescrevia ainda prática e exercícios constantes e o uso comedido das regras durante o transcorrer das atividades didáticas. Muito graças a Moraes, o método analítico para o ensino inicial da leitura – que se tornara oficial para as escolas primárias do estado de São Paulo entre o fim do século 19 e o início do século 20 – teve um inegável revigoramento e deixaria marcas indeléveis na educação do país.

O site pede cadastro. É fácil, rápido e vale a pena.


Deixe uma resposta


Desenvolvido pela Quanta Comunicação