Ba-Boom – Incendeia

Músicas:
1. Incendeia
2. Batalha
3. Quem Conta
4. Noite De Reggae
5. Toque De Bamba
6. Amizade Prevalece
7. Inna RC
8. Canção Guerreira
9. Como Tá Kalunga?
10. Mano Sujou!

Ba-Boom é uma banda formada no ABC paulista, por Bruno Buia na voz e percussão, Allan Tijolin na guitarra e voz, Cassiano Ks na bateria, Raoni Gruber no baixo, Kiko Bonato no sax tenor, Bio Bonato no sax baritono, Victor Fão no trombone, Felippe Pipeta no trompete, Marcos Guarujá e Rafael Bira nas percussões e Caio Duarte nos teclados.
Difícil conciliar tantos interesses, entre 10 integrantes, mas essa galera encontrou a música jamaicana como ponto comum e de união entre si mesmos. Gravaram um disco muito bem produzido por Sérgio Sofiatti da ‘Orquestra Brasileira de Música Jamaicana’ e participação especial de André Abujanra, do ‘Karnak’ e ‘Mulheres Negras’.
O disco abre com a pedrada, que intitula o álbum, ‘Incendeia’, um reggae meio ragga meio samba, seguido pelo ska ‘Batalha’. ‘Quem conta’, ‘Noite de reggae’, ‘Amizade prevalece’ e ‘Como tá Kalunga?’ representam o reggae tradicional, enquanto ‘Inna RC’ e ‘Mano sujou!’ rementem ao ragga. A banda já fez até uma turnê na Jamaica, onde forma muito bem recebidos pelo público local.
‘Canção guerreira’ remete à verve pop do grupo e ‘Toque de bamba’ é pura experimentação com tambores de afoxé da música brasileira.


Deixe uma resposta

Ba-Boom – Incendeia

Músicas:
1. Incendeia
2. Batalha
3. Quem Conta
4. Noite De Reggae
5. Toque De Bamba
6. Amizade Prevalece
7. Inna RC
8. Canção Guerreira
9. Como Tá Kalunga?
10. Mano Sujou!

Ba-Boom é uma banda formada no ABC paulista, por Bruno Buia na voz e percussão, Allan Tijolin na guitarra e voz, Cassiano Ks na bateria, Raoni Gruber no baixo, Kiko Bonato no sax tenor, Bio Bonato no sax baritono, Victor Fão no trombone, Felippe Pipeta no trompete, Marcos Guarujá e Rafael Bira nas percussões e Caio Duarte nos teclados.
Difícil conciliar tantos interesses, entre 10 integrantes, mas essa galera encontrou a música jamaicana como ponto comum e de união entre si mesmos. Gravaram um disco muito bem produzido por Sérgio Sofiatti da 'Orquestra Brasileira de Música Jamaicana' e participação especial de André Abujanra, do 'Karnak' e 'Mulheres Negras'.
O disco abre com a pedrada, que intitula o álbum, 'Incendeia', um reggae meio ragga meio samba, seguido pelo ska 'Batalha'. 'Quem conta', 'Noite de reggae', 'Amizade prevalece' e 'Como tá Kalunga?' representam o reggae tradicional, enquanto 'Inna RC' e 'Mano sujou!' rementem ao ragga. A banda já fez até uma turnê na Jamaica, onde forma muito bem recebidos pelo público local.
'Canção guerreira' remete à verve pop do grupo e 'Toque de bamba' é pura experimentação com tambores de afoxé da música brasileira.


Deixe uma resposta


Desenvolvido pela Quanta Comunicação