Aristides Ribas De Andrade Filho – Cadê A Fraternidade Daqui?….Gato Comeu!

De forma analítica e crítica, Cadê A Fraternidade Daqui? nos apresenta reflexões em torno das nuances que envolvem o termo “fraternidade”.

Aristides Ribas De Andrade Filho – Cadê A Fraternidade Daqui?….Gato Comeu! Um Passeio Por Algumas Filosofias…

O foco principal está na discussão dos termos “liberdade, igualdade, fraternidade”, valores centrais que marcaram a revolução francesa e a vida democrática em geral.

De forma analítica e crítica, Cadê A Fraternidade Daqui?….Gato Comeu! nos apresenta reflexões em torno das nuances que envolvem o termo “fraternidade”. Percebe-se, claramente, que o autor, experiente professor de Filosofia, busca alcançar o público acadêmico, acostumado aos debates de ideias, bem como o leitor leigo que deseja um primeiro contato com essa ciência milenar: a filosofia.

Não se buscou aprofundar em todas as colocações que envolvem o lema que motivou a revolução francesa nem se prender a detalhes da vida dos filósofos, abordagens comuns em textos de história da filosofia. Foram abordados, simplesmente, os fatos que marcaram alguns pensamentos que o autor considerou relevantes neste momento de sua vida.

Os filósofos que despertaram maior interesse e marcaram sua reflexão e carreira ao longo desses anos de estudos e docência tiveram um tratamento diferenciado.

A liberdade, ou o direito de viver livremente e sem opressão ou restrições por parte das autoridades, é um valor fundamental em uma sociedade democrática. O mesmo vale para igualdade. Não significa apenas tratar as outras pessoas como iguais, mas também tratar a todos (as) igualmente perante a lei.

Fraternidade não tem a ver com gênero ou irmandades, mesmo que a conotação de gênero certamente existisse quando o lema foi pronunciado pela primeira vez, mas sim que todos devemos ser gentis e solidários uns com os outros. Afinal, trata-se de solidariedade; somos todos parceiros na construção e manutenção da sociedade segura, livre e justa em que todos (as) queremos viver.

Embora estes termos tenham se originado na França, os valores que abraçava não eram novos. A ideia de que as pessoas devem se tratar com justiça e respeito, e que os governantes devem tratar seus “súditos” e/ou governados dessa forma, é muito antiga.

Além disso, são valores que formam um sistema de crenças que mais tarde levaria a modernos tratados de direitos humanos, como a Declaração Universal dos Direitos Humanos, aprovada pelas Nações Unidas em 1948.

Clique para
Baixar o PDF

Deixe uma resposta

Aristides Ribas De Andrade Filho – Cadê A Fraternidade Daqui?….Gato Comeu!

De forma analítica e crítica, Cadê A Fraternidade Daqui? nos apresenta reflexões em torno das nuances que envolvem o termo “fraternidade”.

Aristides Ribas De Andrade Filho - Cadê A Fraternidade Daqui?….Gato Comeu! Um Passeio Por Algumas Filosofias…

O foco principal está na discussão dos termos "liberdade, igualdade, fraternidade", valores centrais que marcaram a revolução francesa e a vida democrática em geral.

De forma analítica e crítica, Cadê A Fraternidade Daqui?….Gato Comeu! nos apresenta reflexões em torno das nuances que envolvem o termo “fraternidade”. Percebe-se, claramente, que o autor, experiente professor de Filosofia, busca alcançar o público acadêmico, acostumado aos debates de ideias, bem como o leitor leigo que deseja um primeiro contato com essa ciência milenar: a filosofia.

Não se buscou aprofundar em todas as colocações que envolvem o lema que motivou a revolução francesa nem se prender a detalhes da vida dos filósofos, abordagens comuns em textos de história da filosofia. Foram abordados, simplesmente, os fatos que marcaram alguns pensamentos que o autor considerou relevantes neste momento de sua vida.

Os filósofos que despertaram maior interesse e marcaram sua reflexão e carreira ao longo desses anos de estudos e docência tiveram um tratamento diferenciado.

A liberdade, ou o direito de viver livremente e sem opressão ou restrições por parte das autoridades, é um valor fundamental em uma sociedade democrática. O mesmo vale para igualdade. Não significa apenas tratar as outras pessoas como iguais, mas também tratar a todos (as) igualmente perante a lei.

Fraternidade não tem a ver com gênero ou irmandades, mesmo que a conotação de gênero certamente existisse quando o lema foi pronunciado pela primeira vez, mas sim que todos devemos ser gentis e solidários uns com os outros. Afinal, trata-se de solidariedade; somos todos parceiros na construção e manutenção da sociedade segura, livre e justa em que todos (as) queremos viver.

Embora estes termos tenham se originado na França, os valores que abraçava não eram novos. A ideia de que as pessoas devem se tratar com justiça e respeito, e que os governantes devem tratar seus “súditos” e/ou governados dessa forma, é muito antiga.

Além disso, são valores que formam um sistema de crenças que mais tarde levaria a modernos tratados de direitos humanos, como a Declaração Universal dos Direitos Humanos, aprovada pelas Nações Unidas em 1948.

Clique para
Baixar o PDF

Deixe uma resposta


Desenvolvido pela Quanta Comunicação