Antonio de Pádua Dias Da Silva – O Ensino De Literatura Hoje

O Ensino De Literatura Hoje é um chamado aos professores que estão compromissados com a viabilização de espaços de leitura em sala de aula.

Antonio de Pádua Dias Da Silva – O Ensino De Literatura Hoje: Da Crise Do Conceito À Noção De Escritas

A crise de leitura instaurada no Brasil, há décadas, tem traduzido para famílias, professores, profissionais da área, escola, governos e instituições que avaliam os níveis de satisfação e progresso escolares uma sensação de impotência diante de vários quesitos que são postos como possíveis de serem avaliados junto ao descrédito e resistência ou não funcionamento da leitura em sala de aula.

Mudanças na valorização e preparação de professores, em pesquisas que promovem outros modos de conduzir as mediações leitoras, interface família e escola, compartilhamento de problemas e buscas coletivas de soluções são as “ferramentas” ou dispositivos utilizados na intenção de melhorar os níveis de leitura dos estudantes brasileiros da Educação Básica.

O último resultado do PISA (Programme for International Student Assessment, 2012), no Brasil, revela que metade do estudante do Ensino Médio foi avaliado no nível 2 (em uma escala de 1 a 6) de leitura e escrita, fato gritante que torna esses sujeitos – aproximadamente vinte e cinco milhões de jovens – analfabetos funcionais, meros decodificadores de textos.

Consciente dessa situação que se repete anualmente no Brasil, sem que haja perspectiva de melhoras, de alívio, mas apenas de agravamento da situação, vez que a cada ano as exigências são outras e nem sempre há tempo de a escola pública se adequar aos modelos e exigências requeridas pelos órgãos fomentadores desses dispositivos, lanço a proposta de outro modo de ver a leitura em sala de aula de Língua Materna, a chamada disciplina Português.

Em O Ensino De Literatura Hoje: Da Crise Do Conceito À Noção De Escritas, questiono o conceito de literatura do livro didático, do professor, do curso de formação de professores (Curso de Letras) e comparo-o às visões que os estudantes e professores do Ensino Médio de duas escolas de Campina Grande, Paraíba, têm sobre essa Instituição.

Meu objetivo é tão somente perceber as idiossincrasias pertinentes ao conceito adotado, o seu não funcionamento frente aos textos amparados pelo conceito e lanço a noção de escritas como modo de abordagem do texto em sala de aula.

O Ensino De Literatura Hoje é um chamado aos professores de Língua Portuguesa que estão compromissados com a viabilização de espaços de leitura de textos em sala de aula.

O ensaio propõe um modo diferente de perceber a atividade de leitura, sobretudo, a Literária, e acomoda a frequência e necessidade leitoras dos alunos em um mesmo ritmo e paradigma em que se joga, atua sem as distinções dos gêneros, das formas, dos discursos, mas possibilita-se o diverso, a dialogia e o respeito aos gostos, aos estilos, às necessidades de cada leitor.

Clique para
Baixar o PDF

Deixe uma resposta

Antonio de Pádua Dias Da Silva – O Ensino De Literatura Hoje

O Ensino De Literatura Hoje é um chamado aos professores que estão compromissados com a viabilização de espaços de leitura em sala de aula.

Antonio de Pádua Dias Da Silva - O Ensino De Literatura Hoje: Da Crise Do Conceito À Noção De Escritas

A crise de leitura instaurada no Brasil, há décadas, tem traduzido para famílias, professores, profissionais da área, escola, governos e instituições que avaliam os níveis de satisfação e progresso escolares uma sensação de impotência diante de vários quesitos que são postos como possíveis de serem avaliados junto ao descrédito e resistência ou não funcionamento da leitura em sala de aula.

Mudanças na valorização e preparação de professores, em pesquisas que promovem outros modos de conduzir as mediações leitoras, interface família e escola, compartilhamento de problemas e buscas coletivas de soluções são as “ferramentas” ou dispositivos utilizados na intenção de melhorar os níveis de leitura dos estudantes brasileiros da Educação Básica.

O último resultado do PISA (Programme for International Student Assessment, 2012), no Brasil, revela que metade do estudante do Ensino Médio foi avaliado no nível 2 (em uma escala de 1 a 6) de leitura e escrita, fato gritante que torna esses sujeitos – aproximadamente vinte e cinco milhões de jovens – analfabetos funcionais, meros decodificadores de textos.

Consciente dessa situação que se repete anualmente no Brasil, sem que haja perspectiva de melhoras, de alívio, mas apenas de agravamento da situação, vez que a cada ano as exigências são outras e nem sempre há tempo de a escola pública se adequar aos modelos e exigências requeridas pelos órgãos fomentadores desses dispositivos, lanço a proposta de outro modo de ver a leitura em sala de aula de Língua Materna, a chamada disciplina Português.

Em O Ensino De Literatura Hoje: Da Crise Do Conceito À Noção De Escritas, questiono o conceito de literatura do livro didático, do professor, do curso de formação de professores (Curso de Letras) e comparo-o às visões que os estudantes e professores do Ensino Médio de duas escolas de Campina Grande, Paraíba, têm sobre essa Instituição.

Meu objetivo é tão somente perceber as idiossincrasias pertinentes ao conceito adotado, o seu não funcionamento frente aos textos amparados pelo conceito e lanço a noção de escritas como modo de abordagem do texto em sala de aula.

O Ensino De Literatura Hoje é um chamado aos professores de Língua Portuguesa que estão compromissados com a viabilização de espaços de leitura de textos em sala de aula.

O ensaio propõe um modo diferente de perceber a atividade de leitura, sobretudo, a Literária, e acomoda a frequência e necessidade leitoras dos alunos em um mesmo ritmo e paradigma em que se joga, atua sem as distinções dos gêneros, das formas, dos discursos, mas possibilita-se o diverso, a dialogia e o respeito aos gostos, aos estilos, às necessidades de cada leitor.

Clique para
Baixar o PDF

Deixe uma resposta


Desenvolvido pela Quanta Comunicação