Antônio De Brito Freire – Poética Da Incorrespondência

Poética Da Incorrespondência possibilita uma irradiação crítica em torno do valor literário de Nevinha Pinheiro para a Literatura brasileira.

Antônio De Brito Freire – Poética Da Incorrespondência: No Reino Das Palavras (Carlos Drummond De Andrade/Nevinha Pinheiro)

No presente livro, objetivamos ressaltar o nome de Nevinha Pinheiro para que ela não seja mais uma escritora brasileira, a produzir com qualidade e ter sua produção e sua participação rasuradas, apagadas pelas mãos dos homens que escrevem sobre quem escreve.

A nosso ver, esta omissão se dá em duas vertentes: ora como total exclusão, ora como semi-exclusão, ou seja, uma exclusão pela metade que se configura como uma demonstração superficial de nomes de autoras que constam na história da Literatura brasileira apenas como figurantes sem despertarem maiores interesses dos que listam e enumeram esses nomes.

Ao observarmos alguns livros de crítica e história literária e retomarmos esse movimento poético da segunda metade do século XIX, o Parnasianismo, percebemos a presença de uma espécie de marginalização em relação à produção literária de escritoras. Neste momento quase não se fala em mulheres escritoras.

Percebemos que é consensual a crítica considerar, neste movimento, apenas três poetas que foram consagrados como mais importantes e imprescindíveis em estudos literários: Olavo Bilac, Alberto de Oliveira e Raimundo Correia, a “trindade parnasiana”. Para alguns estudiosos, a exemplo de Athayde “sem dúvida alguma os grandes parnasianos e simbolistas foram homens”.

Desse modo, Roberto Fortes, um dos maiores estudiosos da poética de Francisca Júlia, contradiz o olhar machista de Athayde e confirma que Júlia é a maior poeta da língua portuguesa em seu tempo, dentro da proposta do estilo literário que ela integrou.

Nevinha Pinheiro é citada como referência e é considerada pelo seu maior confidente, o poeta Carlos Drummond de Andrade, como uma excelente crítica literária e como uma exímia “escrevedora” conforme ele mesmo a define. Nevinha tinha o hábito de mostrar sua produção a ele e ouvir ou ler suas ponderações sobre seus escritos.

O livro Poética Da Incorrespondência, tem um teor incorrespondente íntimo por trazer em seu cerne a possibilidade de uma irradiação crítica em torno do valor literário de Nevinha Pinheiro para a Literatura brasileira, particularmente, Literatura paraibana.

Drummond em suas incorrespondências fazia sempre questão de abordar e ressaltar a qualidade literária de Nevinha Pinheiro como escritora e chegou a motivá-la a publicar os seus livros ainda no prelo.

Clique para
Baixar o PDF

Deixe uma resposta

Antônio De Brito Freire – Poética Da Incorrespondência

Poética Da Incorrespondência possibilita uma irradiação crítica em torno do valor literário de Nevinha Pinheiro para a Literatura brasileira.

Antônio De Brito Freire - Poética Da Incorrespondência: No Reino Das Palavras (Carlos Drummond De Andrade/Nevinha Pinheiro)

No presente livro, objetivamos ressaltar o nome de Nevinha Pinheiro para que ela não seja mais uma escritora brasileira, a produzir com qualidade e ter sua produção e sua participação rasuradas, apagadas pelas mãos dos homens que escrevem sobre quem escreve.

A nosso ver, esta omissão se dá em duas vertentes: ora como total exclusão, ora como semi-exclusão, ou seja, uma exclusão pela metade que se configura como uma demonstração superficial de nomes de autoras que constam na história da Literatura brasileira apenas como figurantes sem despertarem maiores interesses dos que listam e enumeram esses nomes.

Ao observarmos alguns livros de crítica e história literária e retomarmos esse movimento poético da segunda metade do século XIX, o Parnasianismo, percebemos a presença de uma espécie de marginalização em relação à produção literária de escritoras. Neste momento quase não se fala em mulheres escritoras.

Percebemos que é consensual a crítica considerar, neste movimento, apenas três poetas que foram consagrados como mais importantes e imprescindíveis em estudos literários: Olavo Bilac, Alberto de Oliveira e Raimundo Correia, a “trindade parnasiana”. Para alguns estudiosos, a exemplo de Athayde “sem dúvida alguma os grandes parnasianos e simbolistas foram homens”.

Desse modo, Roberto Fortes, um dos maiores estudiosos da poética de Francisca Júlia, contradiz o olhar machista de Athayde e confirma que Júlia é a maior poeta da língua portuguesa em seu tempo, dentro da proposta do estilo literário que ela integrou.

Nevinha Pinheiro é citada como referência e é considerada pelo seu maior confidente, o poeta Carlos Drummond de Andrade, como uma excelente crítica literária e como uma exímia “escrevedora” conforme ele mesmo a define. Nevinha tinha o hábito de mostrar sua produção a ele e ouvir ou ler suas ponderações sobre seus escritos.

O livro Poética Da Incorrespondência, tem um teor incorrespondente íntimo por trazer em seu cerne a possibilidade de uma irradiação crítica em torno do valor literário de Nevinha Pinheiro para a Literatura brasileira, particularmente, Literatura paraibana.

Drummond em suas incorrespondências fazia sempre questão de abordar e ressaltar a qualidade literária de Nevinha Pinheiro como escritora e chegou a motivá-la a publicar os seus livros ainda no prelo.

Clique para
Baixar o PDF

Deixe uma resposta


Desenvolvido pela Quanta Comunicação