Anelis Assumpção – Sou Suspeita Estou Sujeita Não Sou Santa

Músicas:
1. Mulher Segundo Meu Pai (& Itamar Assumpção)
2. Bola Com Os Amigos
3. Amor Sustentável (& Gero Camilo)
4. Passando A Vez (& Max B.O.)
5. Deita I
6. Secret (& CéU + Thalma De Freitas)
7. Neverland (& CéU)
8. Sonhando (& Karina Buhr + Flavia Maia)
9. Estrela
10. Quaresmeira (& Alzira E.)
11. One Day (& Cris Scabelo)
12. Alta madrugada (& CéU + Thalma de Freitas)
13. Deita II
14. Luz Nos Meus Olhinhos
15. Paixão Cantada (O Urso Da Cara Brilhante)
16. O Importante É O Que Interessa (& Lurdez da Luz)
17. Como É Gostoso

Não apenas pelo fato de ser filha de Itamar, que o disco de Anelis abre com uma introdução de voz e violão do pai. Antes de morrer, Itamar fez um acordo com Anelis de que a ajudaria na produção do primeiro disco solo, se ela o ajudasse a reeditar sua obra. A ‘Caixa Preta’ de Itamar foi lançada – infelizmente de forma póstuma, pois Itamar morreu em 2003 – mas mesmo assim ele cumpriu o acordo com a filha.
Segundo reportagem de Marcus Preto na Ilustrada, a própria Anelis não conseguia terminar nada na carreira solo, enquanto não concluísse a ‘Caixa Preta’ do pai. “Tinha horas que eu ficava até angustiada, me perguntando porque ele foi fazer esse acordo comigo, mas só depois é que fui entender o que estava acontecendo nesse processo”, comenta ela.
O que aconteceu foi um amadurecimento, das canções e da própria carreira de Anelis, além de um ganho considerável em experiência, que ela jamais teria se não houvesse o acordo – já que ela produziu dois discos com material inédito do pai, junto com dois grandes produtores como Beto Villares e Paulo Lepetit. Além desse ‘curso intensivo’ em produção, que teve com a preparação da ‘Caixa Preta’, todo dinheiro ganho com a venda dessa reedição, foi usado na produção do CD Sou Suspeita Estou Sujeira Não Sou Santa – resumindo, Itamar foi produtor executivo por tabela.


Deixe uma resposta

Anelis Assumpção – Sou Suspeita Estou Sujeita Não Sou Santa

Músicas:
1. Mulher Segundo Meu Pai (& Itamar Assumpção)
2. Bola Com Os Amigos
3. Amor Sustentável (& Gero Camilo)
4. Passando A Vez (& Max B.O.)
5. Deita I
6. Secret (& CéU + Thalma De Freitas)
7. Neverland (& CéU)
8. Sonhando (& Karina Buhr + Flavia Maia)
9. Estrela
10. Quaresmeira (& Alzira E.)
11. One Day (& Cris Scabelo)
12. Alta madrugada (& CéU + Thalma de Freitas)
13. Deita II
14. Luz Nos Meus Olhinhos
15. Paixão Cantada (O Urso Da Cara Brilhante)
16. O Importante É O Que Interessa (& Lurdez da Luz)
17. Como É Gostoso

Não apenas pelo fato de ser filha de Itamar, que o disco de Anelis abre com uma introdução de voz e violão do pai. Antes de morrer, Itamar fez um acordo com Anelis de que a ajudaria na produção do primeiro disco solo, se ela o ajudasse a reeditar sua obra. A ‘Caixa Preta’ de Itamar foi lançada – infelizmente de forma póstuma, pois Itamar morreu em 2003 – mas mesmo assim ele cumpriu o acordo com a filha.
Segundo reportagem de Marcus Preto na Ilustrada, a própria Anelis não conseguia terminar nada na carreira solo, enquanto não concluísse a 'Caixa Preta' do pai. “Tinha horas que eu ficava até angustiada, me perguntando porque ele foi fazer esse acordo comigo, mas só depois é que fui entender o que estava acontecendo nesse processo”, comenta ela.
O que aconteceu foi um amadurecimento, das canções e da própria carreira de Anelis, além de um ganho considerável em experiência, que ela jamais teria se não houvesse o acordo – já que ela produziu dois discos com material inédito do pai, junto com dois grandes produtores como Beto Villares e Paulo Lepetit. Além desse ‘curso intensivo’ em produção, que teve com a preparação da ‘Caixa Preta’, todo dinheiro ganho com a venda dessa reedição, foi usado na produção do CD Sou Suspeita Estou Sujeira Não Sou Santa – resumindo, Itamar foi produtor executivo por tabela.


Deixe uma resposta


Desenvolvido pela Quanta Comunicação