Ana Paula Vosne Martins – Visões Do Feminino

Visões Do Feminino aborda, a partir de pesquisa aprofundada, o nascimento de todo um discurso que pretendia conhecer a natureza feminina.

Ana Paula Vosne Martins – Visões Do Feminino: A Medicina Da Mulher Nos séculos XIX E XX

Este livro aborda um tema recorrente na literatura e no pensamento ocidental que mobilizou, ao longo do tempo, artistas, poetas, filósofos, cientistas e religiosos. Trata-se do corpo feminino. Louvado, diabolizado ou mitificado, cada época devotou a este corpo olhares, expectativas e significados diversos.

Nas últimas décadas do século XX, para além de todas essas presenças, ‘o corpo’ assumiu também um lugar de destaque nas discussões feministas e nas análises de gênero, a ponto de ser identificado como uma categoria da teoria social. É muito vasta e importante esta produção a respeito do corpo.

Um de seus segmentos é constituído pelo discurso feminista que analisou a construção do pensamento misógino patriarcalista em relação às mulheres e à feminilidade.

Procurou-se evidenciar como esse discurso tinha como base a depreciação dos corpos femininos – considerados mais frágeis e imperfeitos em relação ao dos homens – e o pressuposto do dualismo mente/corpo, associado, geralmente, à oposição macho/fêmea. Dessa forma, as mulheres estariam bem mais ligadas ao corpo do que os homens, o que restringiria seus papéis e atuações sociais.

As teorias feministas procuraram desconstruir tais representações, que, justificadas em um biologismo essencialista, buscavam explicar características culturais e comportamentais.

Demonstraram, assim, que, ao invés de uma natureza feminina única, ‘a mulher’ foi aprisionada em seu próprio corpo para ser controlada e oprimida.

Visões Do Feminino, de Ana Paula Vosne Martins, dialoga com os estudos feministas, incorpora algumas posições, mas, de certa forma, envereda por um caminho diverso, já que procura compreender o significado e a importância da medicina na construção e, especialmente, na consolidação de um pensamento misógino no século XIX, a partir do desenvolvimento da ginecologia e da obstetrícia.

A autora elucida como o saber médico conferiu às mulheres uma identidade comum e fez do corpo um lugar privilegiado, do qual emanava a mais profunda identidade feminina.

O ponto de partida do livro é, portanto, o discurso científico e as reflexões dos médicos, entre finais do século XVIII e a segunda metade do século XIX, sobre a singularidade do corpo feminino e suas patologias, bem como sobre seu sistema reprodutivo.


2 respostas

    1. Oi, Marcos!
      Testei e o link está OK, para o arquivo em PDF. De qualquer maneira, obrigado, pois o link que você colocou, tem, além do PDF, o arquivo em epub.
      Um abraço!

Deixe uma resposta

Ana Paula Vosne Martins – Visões Do Feminino

Visões Do Feminino aborda, a partir de pesquisa aprofundada, o nascimento de todo um discurso que pretendia conhecer a natureza feminina.

Ana Paula Vosne Martins - Visões Do Feminino: A Medicina Da Mulher Nos séculos XIX E XX

Este livro aborda um tema recorrente na literatura e no pensamento ocidental que mobilizou, ao longo do tempo, artistas, poetas, filósofos, cientistas e religiosos. Trata-se do corpo feminino. Louvado, diabolizado ou mitificado, cada época devotou a este corpo olhares, expectativas e significados diversos.

Nas últimas décadas do século XX, para além de todas essas presenças, ‘o corpo’ assumiu também um lugar de destaque nas discussões feministas e nas análises de gênero, a ponto de ser identificado como uma categoria da teoria social. É muito vasta e importante esta produção a respeito do corpo.

Um de seus segmentos é constituído pelo discurso feminista que analisou a construção do pensamento misógino patriarcalista em relação às mulheres e à feminilidade.

Procurou-se evidenciar como esse discurso tinha como base a depreciação dos corpos femininos – considerados mais frágeis e imperfeitos em relação ao dos homens – e o pressuposto do dualismo mente/corpo, associado, geralmente, à oposição macho/fêmea. Dessa forma, as mulheres estariam bem mais ligadas ao corpo do que os homens, o que restringiria seus papéis e atuações sociais.

As teorias feministas procuraram desconstruir tais representações, que, justificadas em um biologismo essencialista, buscavam explicar características culturais e comportamentais.

Demonstraram, assim, que, ao invés de uma natureza feminina única, ‘a mulher’ foi aprisionada em seu próprio corpo para ser controlada e oprimida.

Visões Do Feminino, de Ana Paula Vosne Martins, dialoga com os estudos feministas, incorpora algumas posições, mas, de certa forma, envereda por um caminho diverso, já que procura compreender o significado e a importância da medicina na construção e, especialmente, na consolidação de um pensamento misógino no século XIX, a partir do desenvolvimento da ginecologia e da obstetrícia.

A autora elucida como o saber médico conferiu às mulheres uma identidade comum e fez do corpo um lugar privilegiado, do qual emanava a mais profunda identidade feminina.

O ponto de partida do livro é, portanto, o discurso científico e as reflexões dos médicos, entre finais do século XVIII e a segunda metade do século XIX, sobre a singularidade do corpo feminino e suas patologias, bem como sobre seu sistema reprodutivo.


2 respostas

    1. Oi, Marcos!
      Testei e o link está OK, para o arquivo em PDF. De qualquer maneira, obrigado, pois o link que você colocou, tem, além do PDF, o arquivo em epub.
      Um abraço!

Deixe uma resposta


Desenvolvido pela Quanta Comunicação