Allison Hoover Bartlett – O Homem Que Amava Muito Os Livros

Allison Hoover Barlett nos apresenta, em O Homem Que Amava Muito Os Livros, o maravilhoso universo do mercado de livros raros e seus colecionadores.

Allison Hoover Bartlett – O Homem Que Amava Muito Os Livros

O impenitente ladrão bibliófilo Gilkey roubou uma fortuna em livros raros. Porém, diferentemente da maioria dos ladrões que roubam para auferir lucro, Gilkey rouba por amor: amor aos livros.

Talvez igualmente obsessivo seja Ken Sanders, o autointitulado bibliodetetive, que dedica-se a capturá-lo.

Com um misto de suspense, intuição e humor, O Homem Que Amava Muito Os Livros tece sua narrativa acerca da perseguição ao estilo gato e rato, que revela precisamente não apenas como Gilkey cometeu seus crimes e o modo como Sanders conseguiu capturá-lo, mas, também, explora o aspecto romântico dos livros, do anseio por colecioná-los e da tentação de roubá-los.

A escritora e jornalista Allison Hoover Barlett nos apresenta neste trabalho o maravilhoso universo do mercado de livros raros e seus colecionadores, buscando detalhar o fascínio irresistível que esses objetos cheios de mistérios podem exercer sobre a nossa mente, capaz inclusive de distorcer a realidade.

Quantas vezes você não jurava que tinha condições de incluir mais um livrinho nas suas compras mensais e depois teve que rebolar pra conseguir pagar a fatura no fim do mês? É a história da minha vida. O prazer em obter livros e juntá-los pode vir a ser um vício terrível e muitas pessoas, para suprir esse vício, são capazes de cruzar os limites da moralidade.

O Homem Que Amava Muito Os Livros narra a história de Jon Gilkey um real ladrão de livros que através das mais diversas fraudes buscava constantemente realizar o sonho de possuir uma biblioteca invejável, cheia de livros raros. Durante alguns anos a escritora manteve encontros com Gilkey ganhando aos poucos sua confiança para descobrir e nos contar, detalhadamente, seu modus operandi, seus planos e seus segredos.

A jornalista manteve contato também com algumas das vítimas do meliante bibliófilo, dentre elas o que mais veio a colaborar, tanto para a conclusão do livro quanto para a prisão de Gilkey, o ilustre Ken Sanders, um grande conhecedor, amante e comerciante de livros – principalmente livros raros e antigos.


Deixe uma resposta

Allison Hoover Bartlett – O Homem Que Amava Muito Os Livros

Allison Hoover Barlett nos apresenta, em O Homem Que Amava Muito Os Livros, o maravilhoso universo do mercado de livros raros e seus colecionadores.

Allison Hoover Bartlett - O Homem Que Amava Muito Os Livros

O impenitente ladrão bibliófilo Gilkey roubou uma fortuna em livros raros. Porém, diferentemente da maioria dos ladrões que roubam para auferir lucro, Gilkey rouba por amor: amor aos livros.

Talvez igualmente obsessivo seja Ken Sanders, o autointitulado bibliodetetive, que dedica-se a capturá-lo.

Com um misto de suspense, intuição e humor, O Homem Que Amava Muito Os Livros tece sua narrativa acerca da perseguição ao estilo gato e rato, que revela precisamente não apenas como Gilkey cometeu seus crimes e o modo como Sanders conseguiu capturá-lo, mas, também, explora o aspecto romântico dos livros, do anseio por colecioná-los e da tentação de roubá-los.

A escritora e jornalista Allison Hoover Barlett nos apresenta neste trabalho o maravilhoso universo do mercado de livros raros e seus colecionadores, buscando detalhar o fascínio irresistível que esses objetos cheios de mistérios podem exercer sobre a nossa mente, capaz inclusive de distorcer a realidade.

Quantas vezes você não jurava que tinha condições de incluir mais um livrinho nas suas compras mensais e depois teve que rebolar pra conseguir pagar a fatura no fim do mês? É a história da minha vida. O prazer em obter livros e juntá-los pode vir a ser um vício terrível e muitas pessoas, para suprir esse vício, são capazes de cruzar os limites da moralidade.

O Homem Que Amava Muito Os Livros narra a história de Jon Gilkey um real ladrão de livros que através das mais diversas fraudes buscava constantemente realizar o sonho de possuir uma biblioteca invejável, cheia de livros raros. Durante alguns anos a escritora manteve encontros com Gilkey ganhando aos poucos sua confiança para descobrir e nos contar, detalhadamente, seu modus operandi, seus planos e seus segredos.

A jornalista manteve contato também com algumas das vítimas do meliante bibliófilo, dentre elas o que mais veio a colaborar, tanto para a conclusão do livro quanto para a prisão de Gilkey, o ilustre Ken Sanders, um grande conhecedor, amante e comerciante de livros - principalmente livros raros e antigos.


Deixe uma resposta