Aline Maria Macedo Chamone – Um Estudo Sobre Os Saraus Da Periferia De São Paulo

A obra estabelece relações possíveis entre a literatura e a formação, para isso, se debruçou sobre os saraus da periferia de São Paulo.

Aline Maria Macedo Chamone – Um Estudo Sobre Os Saraus Da Periferia De São Paulo: Espaços Para “Aprender Na Amizade E Na Liberdade”

Este livro buscou estabelecer relações possíveis entre a literatura e a formação, para isso, se debruçou em um estudo sobre os saraus da periferia de São Paulo.

O tema da literatura marginal/periférica é trazido juntamente à noção da literatura como possibilidade de formação, ação social, sociabilidade e resistência. Autores como Candido e Larrosa auxiliaram na compreensão formativa da literatura e seu caráter humanizador. Martuccelli aparece como perspectiva teórica para o entendimento dos indivíduos latino-americanos, suas especificidades e relações com o movimento de literatura marginal/periférica.

É apresentada uma discussão sobre a literatura marginal/periférica no cenário atual, bem como, um mapeamento dos saraus que acontecem na periferia da cidade. Foram realizadas entrevistas com escritores e escritoras desse movimento para entender suas trajetórias de formação por meio da literatura assim como o encontro com os saraus. Por fim, traz o sarau como um espaço formativo no qual é possível aprender na amizade e na liberdade.

O primeiro capítulo traz as contribuições teóricas de Danilo Marttuccelli e sua concepção dentro de uma sociologia do indivíduo. Junto à noção de indivíduo latino-americano é estabelecida uma relação com o contexto da literatura periférica e os saraus. Por seguinte é feita uma discussão sobre o papel formador e humanizador da literatura bem como, o vínculo entre a literatura e a sociedade e a ideia de resistência encontrada na literatura e na palavra.

No capítulo 2 mostra-se o debate em torno dos termos “marginal” e “periférico” e o cenário de tal literatura na atualidade. Mostra-se um mapeamento dos saraus da periferia de São Paulo, sobretudo, a partir dos dados encontrados na agenda virtual produzida pela ONG Ação Educativa. As trajetórias feitas por mim até os saraus são contadas juntamente às histórias dos saraus visitados.

No capítulo 3 o sarau é abordado como lugar de encontro e confluência, apresenta-se uma breve formulação histórica do espaço sarau e traz-se a possibilidade do encontro do sarau enquanto um ambiente propício para o acontecimento de uma sociabilidade intelectual. A periferia é apresentada em novos contextos de produção cultural o que pode trazer modificações no debate sobre seus significados.

No capítulo 4 mostra-se a experiência com as entrevistas, as descobertas, as junções. Os/As entrevistados/as são apresentados/as por meio de seus escritos e encontros com a literatura. Por fim, como considerações finais, é trazida uma exposição sobre o lugar do sarau como um espaço para se “aprender na amizade e na liberdade”.

Clique para
Baixar o PDF

Deixe uma resposta

Aline Maria Macedo Chamone – Um Estudo Sobre Os Saraus Da Periferia De São Paulo

A obra estabelece relações possíveis entre a literatura e a formação, para isso, se debruçou sobre os saraus da periferia de São Paulo.

Aline Maria Macedo Chamone - Um Estudo Sobre Os Saraus Da Periferia De São Paulo: Espaços Para “Aprender Na Amizade E Na Liberdade”

Este livro buscou estabelecer relações possíveis entre a literatura e a formação, para isso, se debruçou em um estudo sobre os saraus da periferia de São Paulo.

O tema da literatura marginal/periférica é trazido juntamente à noção da literatura como possibilidade de formação, ação social, sociabilidade e resistência. Autores como Candido e Larrosa auxiliaram na compreensão formativa da literatura e seu caráter humanizador. Martuccelli aparece como perspectiva teórica para o entendimento dos indivíduos latino-americanos, suas especificidades e relações com o movimento de literatura marginal/periférica.

É apresentada uma discussão sobre a literatura marginal/periférica no cenário atual, bem como, um mapeamento dos saraus que acontecem na periferia da cidade. Foram realizadas entrevistas com escritores e escritoras desse movimento para entender suas trajetórias de formação por meio da literatura assim como o encontro com os saraus. Por fim, traz o sarau como um espaço formativo no qual é possível aprender na amizade e na liberdade.

O primeiro capítulo traz as contribuições teóricas de Danilo Marttuccelli e sua concepção dentro de uma sociologia do indivíduo. Junto à noção de indivíduo latino-americano é estabelecida uma relação com o contexto da literatura periférica e os saraus. Por seguinte é feita uma discussão sobre o papel formador e humanizador da literatura bem como, o vínculo entre a literatura e a sociedade e a ideia de resistência encontrada na literatura e na palavra.

No capítulo 2 mostra-se o debate em torno dos termos “marginal” e “periférico” e o cenário de tal literatura na atualidade. Mostra-se um mapeamento dos saraus da periferia de São Paulo, sobretudo, a partir dos dados encontrados na agenda virtual produzida pela ONG Ação Educativa. As trajetórias feitas por mim até os saraus são contadas juntamente às histórias dos saraus visitados.

No capítulo 3 o sarau é abordado como lugar de encontro e confluência, apresenta-se uma breve formulação histórica do espaço sarau e traz-se a possibilidade do encontro do sarau enquanto um ambiente propício para o acontecimento de uma sociabilidade intelectual. A periferia é apresentada em novos contextos de produção cultural o que pode trazer modificações no debate sobre seus significados.

No capítulo 4 mostra-se a experiência com as entrevistas, as descobertas, as junções. Os/As entrevistados/as são apresentados/as por meio de seus escritos e encontros com a literatura. Por fim, como considerações finais, é trazida uma exposição sobre o lugar do sarau como um espaço para se “aprender na amizade e na liberdade”.

Clique para
Baixar o PDF

Deixe uma resposta


Desenvolvido pela Quanta Comunicação