Alberto Gawryszewski (Org.) – O Amigo Da Onça

A coletânea O Amigo Da Onça traz importantes reflexões sobre o papel da mídia e do humor gráfico como formadora de opinião.

Alberto Gawryszewski (Org.) – O Amigo Da Onça: Uma Expressão Da Alma Brasileira

A produção de Péricles e, depois, Carlos Estevão – O Amigo da Onça – que estava imbutida na revista de maior circulação nacional, O Cruzeiro, traz importantes reflexões sobre o papel da mídia e do humor gráfico como formadora de opinião ou como reflexo de uma sociedade.

A exposição, composta por cerca de 80 banners (que podia variar conforme o espaço físico disponível), foi e está sendo montada em escolas, museus, associações esportivas, classistas e culturais. Foi dividida em três partes que se interligam: primeira, uma mostra da revista O Cruzeiro, composta por capas, reportagens e entrevistas; segunda, composta pelas ilustrações O Amigo da Onça (AO), de Péricles.

Este livro é formado por três artigos. O primeiro, de Jorge Luiz Romanello, trata da história da revista O Cruzeiro, típica “Revista de Variedades”. O autor privilegiou discutir um pouco sobre as fotos, os desenhos, charges e caricaturas que compunham a revista, pois era característica desta a ênfase sobre as imagens.

O segundo artigo foi escrito por Ana Flávia Dias Zammataro no qual aborda alguns aspectos do personagem O Amigo da Onça. Escreve sobre a piada que deu origem a este e apresenta suas várias facetas: egoísta, mulherengo, sagaz; retratado como jovem e idoso, na forma animal e em vários empregos.

Mas, sempre aparecendo como um amigo da onça. Faz uma ligeira biografia de Péricles, com seu fim trágico, e de Carlos Estevão, destacando o brilhante trabalho deste na continuação da produção do personagem O Amigo da Onça.

O terceiro e último artigo foi escrito pelo autor destas palavras. Procurei trabalhar com alguns conceitos presentes em nossa época, tais como o belo, feio, riqueza, pobreza, velhice, etnia entre outros. Tais conceitos geram preconceitos, ou seja, uma forma unilateral de análise (ou não) que reforça valores, desagrega os laços humanos, gera ódios, sobrepõe um ser sobre outro e outros malefícos. Perícles e Carlos Estevão, astutos observadores da sociedade brasileira, colocaram seus traços a serviço da denúncia dos preconceitos existentes em nossa sociedade.

Baixe os demais volumes da coleção aqui.


Deixe uma resposta

Alberto Gawryszewski (Org.) – O Amigo Da Onça

A coletânea O Amigo Da Onça traz importantes reflexões sobre o papel da mídia e do humor gráfico como formadora de opinião.

Alberto Gawryszewski (Org.) - O Amigo Da Onça: Uma Expressão Da Alma Brasileira

A produção de Péricles e, depois, Carlos Estevão – O Amigo da Onça – que estava imbutida na revista de maior circulação nacional, O Cruzeiro, traz importantes reflexões sobre o papel da mídia e do humor gráfico como formadora de opinião ou como reflexo de uma sociedade.

A exposição, composta por cerca de 80 banners (que podia variar conforme o espaço físico disponível), foi e está sendo montada em escolas, museus, associações esportivas, classistas e culturais. Foi dividida em três partes que se interligam: primeira, uma mostra da revista O Cruzeiro, composta por capas, reportagens e entrevistas; segunda, composta pelas ilustrações O Amigo da Onça (AO), de Péricles.

Este livro é formado por três artigos. O primeiro, de Jorge Luiz Romanello, trata da história da revista O Cruzeiro, típica “Revista de Variedades”. O autor privilegiou discutir um pouco sobre as fotos, os desenhos, charges e caricaturas que compunham a revista, pois era característica desta a ênfase sobre as imagens.

O segundo artigo foi escrito por Ana Flávia Dias Zammataro no qual aborda alguns aspectos do personagem O Amigo da Onça. Escreve sobre a piada que deu origem a este e apresenta suas várias facetas: egoísta, mulherengo, sagaz; retratado como jovem e idoso, na forma animal e em vários empregos.

Mas, sempre aparecendo como um amigo da onça. Faz uma ligeira biografia de Péricles, com seu fim trágico, e de Carlos Estevão, destacando o brilhante trabalho deste na continuação da produção do personagem O Amigo da Onça.

O terceiro e último artigo foi escrito pelo autor destas palavras. Procurei trabalhar com alguns conceitos presentes em nossa época, tais como o belo, feio, riqueza, pobreza, velhice, etnia entre outros. Tais conceitos geram preconceitos, ou seja, uma forma unilateral de análise (ou não) que reforça valores, desagrega os laços humanos, gera ódios, sobrepõe um ser sobre outro e outros malefícos. Perícles e Carlos Estevão, astutos observadores da sociedade brasileira, colocaram seus traços a serviço da denúncia dos preconceitos existentes em nossa sociedade.

Baixe os demais volumes da coleção aqui.


Deixe uma resposta


Desenvolvido pela Quanta Comunicação