Edmundo Dantès Nascimento – Lógica Aplicada À Advocacia: Técnica De Persuasão

Este livro fornece elementos seguros para a preparação de petições iniciais, contestações, recursos e razões.

Em capítulos dedicados ao raciocínio, Lógica Aplicada À Advocacia apresenta processos de argumentação e refutação, ensejando ao profissional a formulação de contra-razões, uma vez que analisa todas as formas de argumentos falsos e verdadeiros.

Lógica Aplicada À Advocacia apresenta uma sinopse ao final de cada capítulo, proporcionando uma visão geral dos principais pontos abordados. As sucessivas tiragens deste trabalho o firmam como instrumento eficaz na busca do pensamento ordenado, facilmente compreendido e sem erros.

Ao longo das 310 páginas de Lógica Aplicada À Advocacia é nítida a preocupação do autor em oferecer ao leitor um caminho seguro para a aplicação imediata da lógica no exercício da advocacia.

Significa, em outras palavras, facilitar o encontro entre aqueles que não estudaram lógica com a arte de raciocinar corretamente e refutar os raciocínios incorretos no trabalho diário de “requerer, responder, recorrer, argumentar e refutar argumentos”.

Com longos anos de experiência como advogado, examinador da OAB de São Paulo e professor universitário, Dantés Nascimento diz que é visível a mudança no perfil de uma categoria de profissionais liberais, que sempre se destacou por reunir grandes inteligências do Brasil e do mundo.

Para ele, o abuso na utilização de “formulários” tem afetado de forma significativa o espírito criador de jovens advogados, transformando-os “em meros preenchedores de espaços vazios”, com formas rígidas e quase sempre incorretas. “Sem raciocínio, sem técnica de linguagem e de argumentação, sem estudo de doutrina, o bacharel será, como diz Cícero, um rábula”, afirma.

Ele situa o raciocínio e a expressão como os elementos essenciais à advocacia e destaca a estreita ligação entre a lógica, entendida como a arte de pensar ordenadamente, e a linguagem, como expressão verbal do pensamento. “Quando as palavras exprimem coisas concretas a linguagem se aproxima do pensamento; mas, quando se referem a ideias, torna-se mais difícil a aproximação”, ressalta o professor.

Tal dificuldade, segundo ele, é superada pela terminologia, própria de cada ciência ou até mesmo de cada profissão. “Basta consultar um dicionário de termos jurídicos para verificar que em Direito os termos tomam uma significação precisa e diferente da linguagem comum”, afirma.

 

Caneca Aplique-se! | Branca

Deixe uma resposta