Salas Abertas: Formação De Professores E Práticas Pedagógicas Em Comunicação Alternativa E Ampliada Nas Salas De Recurso Multifuncionais – O presente livro se constitui em uma importante publicação para nossa Rede Pública Municipal de Ensino, principalmente por abordar uma experiência de formação que se caracterizou pela valorização de saberes e práticas pedagógicas de professores que atuam em um espaço que ganha centralidade no processo de inclusão: a Sala de Recursos Multifuncionais.
Em janeiro de 2013, fomos procuradas pela equipe da Oficina Vivencial de Ajudas Técnicas para Ação Educativa, do Instituto Municipal Helena Antipoff – SME, no Rio de Janeiro, que estava interessada em desenvolver uma parceria com a universidade para uma pesquisa que envolveria a formação de professores, com a ideia de realizar um trabalho inovador na área de Tecnologia Assistiva (TA), principalmente na Comunicação Alternativa e Ampliada (CAA).
O principal objetivo seria formar uma equipe de professores de Atendimento Educacional Especializado (AEE) para ampliar o trabalho da Oficina Vivencial (OV) por meio das Salas de Recursos Multifuncionais de Referência.
O extenso acervo de estudos sobre a formação continuada de professores e seus achados levou-nos à reflexão de que, mesmo diante das práticas inclusivas e de toda a informação disponível, o professor necessita de conhecimentos específicos, atualizados e fundamentados teoricamente, que deem suporte à resolução dos problemas vivenciados no dia a dia na escola.
Esses estudos ainda criticam os modelos de formação continuada adotados pela maioria das instituições e defendem que essa formação deveria ser oferecida utilizando-se modelos alternativos, uma vez que os tradicionais são formatados para repassar conhecimentos de caráter meramente informativos, desvinculados da realidade de sala de aula, que não contemplam as necessidades dos professores e dos alunos, e que, por isso, pouco contribuem para a modificação das concepções e práticas destes.
A formação de professores ganha outra dimensão, passando a ser centrada na investigação do próprio trabalho no contexto escolar. Esse modelo ficou conhecido como modelo da prática reflexiva, e há um consenso na literatura sobre a relevância de sua incorporação nas formações inicial e continuada de professores.
Partindo dessas ideias de que o modelo de formação deveria estar vinculado à realidade da sala de aula, atendendo às necessidades dos professores e pensando no modelo da prática reflexiva, surgiu a nossa proposta de formação continuada em serviço de professores de Salas de Recursos Multifuncionais para atuar com TA, principalmente a CAA, que é o tema principal de Salas Abertas.

 

Camisa Coração

Deixe uma resposta