Dialogismo, Interação Em Práticas De Linguagem No Ensino De Línguas é a reunião de vários artigos resultantes de investigações realizadas por pesquisadores de diferentes Instituições de Ensino Superior (IES) do país, cujo cerne principal aborda as práticas de linguagem no processo de ensino e aprendizagem de língua materna.
Os textos expostos são resultados de pesquisas apresentadas durante o IX Congresso Internacional da Abralin – Associação Brasileira de Linguística – realizado entre 25 a 28 de fevereiro de 2015, na Universidade Federal do Pará, no simpósio “Dialogismo, interação em práticas de linguagem no ensino de línguas”, coordenado pelos próprios organizadores da coletânea.
Um aspecto pontual e relevante a todos os trabalhos é pautarem-se na concepção dialógica da linguagem, embasada nos pressupostos teóricos do Círculo de Bakhtin, concebendo-a como um caminho para os estudos relacionados às práticas de linguagem em sala de aula: a leitura, a escrita e a análise linguística.
Na realidade, os pesquisadores debruçam-se, cada um em sua IES, sobre uma prática própria, para compreender como essa concepção pode auxiliar a melhorar a compreensão sobre o ensino de língua materna nas escolas brasileiras. Para tanto, o livro está dividido em duas partes para permitir uma visualização mais determinada das pesquisas.
A primeira parte, intitulada Práticas de leitura e escrita, é composta por cinco capítulos, que versam sobre as práticas de leitura e de escrita. No primeiro texto, “Apropriação teórico-metodológica no trabalho colaborativo docente de revisão textual”, Gasparotto (IFC – Videira) e Menegassi (UEM) visam compreender o processo de apropriação de conceitos teórico-metodológicos na prática docente de revisão de textos de alunos, a partir do desenvolvimento de trabalho colaborativo sobre o tema, em pesquisa longitudinal.
O trabalho foi realizado com uma docente de Língua Portuguesa do Ensino Fundamental e abrangeu as seguintes etapas: a) questionamentos sobre a formação e experiência da docente e sobre suas práticas com revisão e reescrita em sala de aula; b) estudo teórico-metodológico orientado acerca da concepção de escrita como trabalho, dos processos de revisão e reescrita e de metodologias de revisão textual; c) construção conjunta de oficina de produção textual; d) desenvolvimento da oficina pela docente.
Os autores analisaram as revisões textuais realizadas pela docente após o estudo orientado, a fim de compreender quais aspectos estudados manifestavam-se como apropriados pela docente em suas revisões.

 

Camisa Digitalizado

Deixe uma resposta