Educação A Distância E Tutoria: Considerações Pedagógicas E Práticas – Como a história das tecnologias influenciaram os modelos e gerações de cursos a distância? Quais os diferentes conceitos e atribuições do tutor a distância? Como o tutor pode organizar-se na gestão do tempo em um curso online? Quais as competências necessárias para o exercício da tutoria a distância? Quais dinâmicas e estratégias potencializam interações no ambiente virtual de aprendizagem? Como a linguagem e a escrita do tutor no ambiente virtual produzem interações discursivas? Quais são as diretrizes legais para o funcionamento da educação a distância e do sistema Universidade Aberta do Brasil? Quais os fundamentos pedagógicos que envolvem o papel e função do tutor?
O crescimento da educação a distância (EAD) no Brasil tem sido cada vez mais intenso e as ofertas de cursos começam a ensejar, além dos programas de formação, também programas de capacitação para diversos setores que constituem a atividade econômica do país.
A partir de 1996 quando a educação a distância foi incorporada na Lei 9394/96, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional este crescimento foi acelerado.
Segundo dados do MEC, entre 2000 e 2010 o número de matrículas em cursos de graduação a distância passou de cerca de 5000 para quase um milhão. E o crescimento da EAD no Brasil segue aumentando em quantidade e diversidade.
Uma das condições que alavancaram o desenvolvimento da EAD foi a disseminação das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) no país.
Segundo levantamento do IBGE, entre 2009 e 2011, o PC com internet foi, dentre os bens duráveis eletrônicos, o item que teve o maior crescimento.
Foi de 39,8% o crescimento da presença de computador com acesso à Internet nos lares nesse período. Outro levantamento, feito pelo CETIC.br (Centro de Estudos sobre as Tecnologias da Informação e da Comunicação) aponta que, no período de outubro de 2012 a fevereiro de 2013, 32% dos lares tinham computador de mesa, 23% tinham computador portátil e 2% tinham tablet.
Este último levantamento também indicou que 55% dos indivíduos consultados tinham acessado à Internet e na estratificação por faixa etária, o grupo com maior percentual de acesso à Internet foi o da faixa dos 16 aos 24 anos, na qual 83% dos indivíduos já haviam acessado a Internet.
Considerando apenas os últimos três meses, o percentual de acesso dos jovens reduz para 74% e o percentual geral reduz para 49%. Também deste levantamento deriva a informação de que 59% dos usuários da Internet usam a rede para educação.
A estratificação por faixa etária aponta que todas as faixas etárias usam a Internet para Educação. Os mais jovens (10 a 15 anos) são os que mais utilizam a Internet para Educação (83%) e o percentual vai caindo até a última faixa (acima de 60 anos) onde 24 % declara usar a Internet para educação.

 

Camisa Coração

Deixe uma resposta