O Volga Nasce Na Europa – Este livro é o primeiro, e até agora o único, que revela o sentido oculto daquela imensa tragédia europeia que foi a guerra alemã contra a Rússia soviética.
Ele é, por isso, até agora, de grande atualidade, não somente porque mostra o caráter “social” daquela e de qualquer outra eventual guerra contra a Rússia soviética, mas porque põe o problema fundamental da Europa atual: a inconciliabilidade entre a moral burguesa e a moral operária, que é a moral do mundo moderno.
Não se esqueça nunca, lendo estas páginas, a expressão “moral operária”. A este respeito, parece-me oportuno advertir que este meu livro deveria ter tido, na minha primeira intenção, o título “Guerra e Greve”.
Havia-o escolhido não só por uma inconsciente e talvez apenas musical reevocação de “Guerra e Paz”, não porque presumisse, no fim de contas, imitar com estas minhas páginas, e as suas claras intenções, o romance de Tolstoi, e muito menos porque pensasse que a guerra alemã contra a Rússia soviética tivesse alguma nem que fosse distante analogia com a outra desafortunada e imbecil campanha napoleônica: mas porque o título “Guerra e Greve” me parecia que conseguisse pôr claramente em relevo o caráter social daquela guerra, e a importância fundamental que a “moral operária” tinha, e teria também amanhã, no poderio militar soviético, onde predominavam e predominam, ao lado das armas e dos elementos da arte militar, a disciplina, adestramento técnico, organização tática, etc., todos aqueles elementos sociais da luta de classes e da técnica revolucionária proletária, que se podem compreender, e definir, na palavra “greve”.
A censura fascista proibiu o título “Guerra e Greve”: sem dúvida pelo legítimo receio de que os leitores pudessem dar àquele título o valor de uma premeditada, e perigosa, contraposição do fato “greve” ao facto “guerra”, e fossem induzidos a pensar que a arma mais eficaz contra a guerra, contra qualquer guerra, seja a greve. Não queria entender somente isto, com aquele título: mas “também” isto. E devo reconhecer de que a censura fascista não estava errada, no seu ponto de vista.

 

Camisa “Espere Eu Acabar Esse Capítulo!”

Deixe uma resposta