A Bomba De Hiroxima: A Explosão Que Mudou O Futuro De Toda A Humanidade – Foi, provavelmente, o acontecimento mais importante da Segunda Guerra Mundial, de consequências muito maiores do que as de qualquer outro verificado no conflito. Contudo, a história do bombardeio de Hiroxima, o vôo para o futuro do B-29 batizado com o nome Enola Gay, nunca fora antes relatada com base nos depoimentos de todos os que participaram diretamente daquela operação bélica, e que sobreviveram. Isso é feito neste livro cujo valor está sendo reconhecido internacionalmente.
Os laureados escritores Gordon Thomas e Max Morgan Witts separam o mito da realidade ao reconstituírem os acontecimentos que levaram o mundo à era atômica.
O Major Claude Eatherly, que muitos consideravam o piloto de Hiroxima e que teria enlouquecido de remorso, não estava a bordo do Enola Gay. O verdadeiro piloto, Coronel Paul Tibbets, não se mostrava disposto a falar na missão, segundo todos diziam.
Mas falou durante 50 horas com os autores do livro, que também entrevistaram todos os membros ainda vivos da tripulação, os cientistas e militares cujos esforços levaram ao 6 de agosto de 1945, quando o lançamento, de bordo de um avião, de uma bomba de urânio destruiu a maior parte de uma cidade. mas por ironia do destino não parou a guerra.
Os autores, que já escreveram uma obra notável sobre Guernica, são conhecidos pela orientação que obedecem: contar os dois lados da história.
Assim, além da história do Enola Gay e seus tripulantes – o lado americano da primeira missão atômica – eles apresentam, também, a versão japonesa contada pelos que sofreram o bombardeio: Tenente Yokoyama, cuja bateria antiaérea defendia Hiroxima; Awaya prefeito da cidade, que havia retirado sua família dos perigos de Tóquio e a levado para a segurança de Hiroxima; Marechal-de-Campo Hata, do II Exército-Geral, que instalara em Hiroxima o centro da vasta rede de defesas contra a invasão americana; Professor Asada, cientista de renome mundial, que estava desenvolvendo uma arma ainda mais terrível do que a bomba atômica; e Dr. Shima, cujo hospital ficava bem no centro da explosão.
Além de extensas entrevistas com os protagonistas da história, americanos e japoneses, Witts e Thomas tiveram acesso a diários e anotações particulares, tanto quanto a documentos oficiais até recentemente considerados “ultra-secretos”.
Com base em toda essa informação, eles reconstituíram o drama de homens procurando aperfeiçoar — e outros aprendendo a lançar com segurança – a mais mortífera bomba do mundo, enquanto no Japão o Exército Imperial planejava a defesa, centralizada em Hiroxima, que iria custar cerca de um milhão de vidas americanas.

 

Camisa Bicicleta

Deixe uma resposta