O Filho De Mil Homens – Quinto romance do festejado escritor português, narra a história do pescador Crisóstomo, descrito inicialmente como “um homem que chegou aos quarenta anos e assumiu a tristeza de não ter tido um filho”.
Até que aparece em sua traineira o jovem Camilo, filho de uma anã que havia morrido no parto. Ao redor dos dois, outros personagens curiosos, estranhos ou simplesmente demasiado humanos, testemunham a invenção e construção de uma família em vinte capítulos, escritos com rara delicadeza.
O Filho De Mil Homens, ao falar de uma aldeia rural e dos sonhos anulados de quem vive nela, atravessa temas como solidão, preconceitos, vontades reprimidas, amor e compaixão.
A solidão, para Crisóstomo, é um filho que não se tem. Aos quarenta anos, o pescador decide buscar o que lhe falta. Vai encontrar no jovem Camilo, órfão de uma anã, a chance de preencher a metade vazia, e em Isaura, enjeitada por não ser virgem, a possibilidade de ser mais do que completo.
Com personagens tão excêntricos quanto humanos, que carregam suas tragédias com lirismo e ingenuidade, o festejado Valter Hugo Mãe povoa o vilarejo litorâneo onde a vida é levada com singela tristeza e a esperança do amor faz surgir uma alegria pequena, mas firme, porque construída com o possível.
“Todos nascemos filhos de mil pais e de mais mil mães, e a solidão é sobretudo a incapacidade de ver qualquer pessoa como nos pertencendo, para que nos pertença de verdade e se gere um cuidado mútuo.
Como se os nossos mil pais e mais as nossas mil mães coincidissem em parte, como se fossemos por aí irmãos, irmãos uns dos outros. Somos o resultado de tanta gente, de tanta história, tão grandes sonhos que vão passando de pessoa a pessoa, que nunca estaremos sós.”
O Filho De Mil Homens consegue criar histórias que nos comovem. Sem realizar apelos, constrói narrativas em que os temas são caros à humanidade de uma maneira totalmente compreensiva, pois estão perto de nossa realidade.

 

Camisa Árvore Do Conhecimento

Deixe uma resposta