Vozes, Olhares, Silêncios: Diálogos Transdisciplinares Entre A Linguística Aplicada E A Tradução – A presente coletânea convida ao debate e ao intercâmbio voltados para uma linguística crítica e interdisciplinar que dialoga com outros saberes e converge para a (re)construção de novas formas do saber/fazer linguístico.
Exibe um leque multifocal de assuntos, apoiado em dois grandes temas: o ensino-aprendizagem de línguas como meio de transformação social e questões culturais envolvendo a tradução literária.
A coletânea, conforme se verá, exibe um leque animador de tópicos explorados, todos marcados pelo interesse na pesquisa localizada nas práticas de aprendizagem e de ensino de línguas. À pesquisa aplicada importa localizar no fenomenal de possíveis questões envolvendo língua e seu ensino e aprendizagem aqueles tópicos da prática que desafiam nosso poder de explicação “de porque são como são”.
A área de EALin não é uma área prática como pode ser pensado. As áreas da prática em si mesmas não cabem na universidade e na pesquisa formal. Seria interpretar mal o fazer da Linguística Aplicada (LA) dizer que ele é da prática.
Não, absolutamente. A Linguística Aplicada localiza nos fenômenos importantes da prática envolvendo linguagem os contornos de uma questão de pesquisa sobre a qual indaga algo que já pode ser pesquisado numa dada época.
O trabalho de pesquisa que então se inicia com metodologia própria é puro esforço de teorização. Uma teoria informa de modo condensado, auxiliada por modelos representativos, apoiada em concepções explicitáveis em definições, uma explicação de relações e proposições que nos ajudam a reconhecer fatos e antecipar efeitos, cruciais para o desempenho de uma profissão tão digna quanto antiga como é a de ensinar língua(s).
Embora o nome Linguística Aplicada sugira para os desavisados que se trata de aplicação de conceitos da Linguística ao bom propósito de melhor ensinar língua(s), nada poderia ser tão redutor do seu potencial.
Linguística Aplicada hoje é nome da disciplina ou ciência da linguagem que se ocupa de ordens de fenômenos da prática social (como é o caso da aprendizagem de línguas com ensino acoplado) fazendo uso de teoria e métodos de investigação próprios que diferem consistentemente dos da Linguística.
Com essa outra ciência da linguagem, ocupada com a descrição da estrutura e do funcionamento da linguagem humana, a Linguística Aplicada quer fazer trocas ricas mas sem dependência estatutária dela. Vários conceitos impactantes da Linguística como variação, marcas de prestígio ou estigma, podem ser trazidos para essa troca com conceitos igualmente fundantes para a teoria da prática como insumo adequado, fossilização e interlíngua.
A terceira irmã das ciências da linguagem, a das Literaturas ou Estética da Linguagem também guarda potencial enorme de trocas tanto com a Linguística como com a Linguística Aplicada.

 

Camisa Bicicleta

Deixe uma resposta