Guia Do Usuário Do Digital Object Identifier – O Digital Object Identifier (DOI) é um identificador internacionalmente aceito e, cada vez mais, tem se tornado essencial, principalmente para documentos digitais.
O Digital Object Identifier é um sistema que engloba diferentes subsistemas para o depósito de metadados e a resolução dos nomes Digital Object Identifier. De forma direta, consiste em um par composto por identificador e metadados, em que os metadados podem ser recuperados a partir do identificador. Trata-se de um identificador persistente, único e publicado que gestores de conteúdo vinculam a objetos físicos ou digitais, o que possibilita ofertar serviços e garantir a propriedade intelectual, principalmente para objetos digitais disponíveis na Internet. Segundo os autores do Guia, o Digital Object Identifier atua na identificação e descrição de entidades físicas ou abstratas, reais ou virtuais, digitais ou analógicas. Entre os elementos descritivos estão localização, dados de propriedade intelectual e relacionamento com outros objetos, a partir dos quais uma série de serviços pode ser implementada.
A adoção do DOI por parte dos editores indica preocupação com a qualidade e profissionalismo. Para os autores, artigos com Digital Object Identifier agilizam o processo de preenchimento dos formulários do Currículo Lattes e melhoram a acurácia das informações, além de validá-las, no sentido da coleta de informações fornecidas pelos editores de uma base confiável. Isso é possível porque a Crossref e outras agências mantêm bases de dados sobre os artigos.
Alguns periódicos brasileiros ainda não o adotam ou apresentam dificuldades na sua gestão. Com esse objetivo foi elaborado o Guia, congregando esforços da Associação Brasileira de Editores Científicos (ABEC), do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict) e da Crossref.
O Digital Object Identifier também pode ser atribuído, além dos artigos de revistas, a outros objetos digitais como livros, relatórios, teses e dissertações. Nesse sentido, é importante destacar que todas as teses e dissertações defendidas na Universidade de Sao Paulo (USP) disponíveis na Biblioteca Digital de Teses e Dissertações (BDTD) da USP já estão identificadas com o Digital Object Identifier. Além disso, todos artigos dos fascículos das revistas integradas no Portal de Revistas da USP são publicados com DOI.
O Guia é bem completo. Relaciona ainda, os problemas mais comuns que os editores e técnicos já enfrentaram para atribuir o Digital Object Identifier e como resolvê-los. Inclui também dados sobre a relação do Open Research and Contributor ID (ORCiD) e o Digital Object Identifier, que tem se revelado uma tendência mundial.

 

 

Camisa Vendo Mais Longe

Deixe uma resposta