Percepção De Moradores Sobre Segurança Pública E A Implantação Das Unidades De Polícia Pacificadora (UPPs) Em Favelas Do Rio De Janeiro – Este estudo foi conduzido pelo Laboratório de Pobreza, Violência e Governança (PovGov) de Stanford, em parceria com o Observatório de Favelas com sede no Rio de Janeiro e a Redes da Maré, duas das organizações mais respeitadas da sociedade civil atuantes em favelas do Rio de Janeiro.
O estudo procura compreender as percepções de segurança pública dos residentes de quatro favelas que receberam uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP), Cidade de Deus, Providência, Rocinha e Batan. Além disso, a pesquisa também contemplou o Complexo da Maré durante a experiência de “pré pacificação”, quando as Forças Armadas Brasileiras e a Polícia Militar ocuparam o território em preparação para a chegada da UPP. No final, o Complexo de Maré não recebeu uma UPP e a ocupação do território pelas forças armadas marcou o fim da reforma da “pacificação”.
O objetivo deste estudo é explorar temas relacionados à segurança pública e violência. A pesquisa de maior escala realizada porta à porta em favelas foi conduzida entre setembro de 2015 a fevereiro de 2016, com cerca de 5.000 entrevistados nas favelas Cidade de Deus, Providência, Rocinha e Batan, e 1.300 moradores de Maré.
Nosso objetivo é gerar um debate mais aprofundado sobre a situação de segurança pública na cidade do Rio de Janeiro e promover um espaço de voz para os moradores das favelas do Rio. Buscamos transmitir as experiências e as perspectivas de um grande número de residentes da favela, incluindo o seu padrão de interação com a polícia e os grupos criminosos armados, suas experiências de vitimização, mudanças no âmbito da segurança, avaliações da UPP e da Polícia Militar de forma mais ampla , e a situação geral de segurança pública nessas comunidades.

Para ler a publicação em Inglês, acesse: AQUI

Camisa Guarda-Chuva

Deixe uma resposta